Tecnologias assistivas

Os Sistemas de Emergência Pessoal podem interferir no Marcapasso

Para quem usa marcapasso, as portas giratórias podem significar risco de vida. Será que os Sistemas de Emergência Pessoal podem interferir no Marcapasso?

Essa é uma dúvida muito comum entre os clientes dos sistemas de teleassistência, já que os usuários de marcapasso são orientados a abdicar de certos tipos de equipamentos eletrônicos, a fim de evitar interferência. Nesse caso, será que os Equipamentos de Emergência Pessoal são capazes de causar interferência no marcapasso?

Antes de responder a essa pergunta, vamos explicar como funcionam esses dois equipamentos.

Como o marcapasso funciona?

O marcapasso é um dispositivo eletrônico implantado no tórax e conectado ao coração de pacientes com arritmia ou algum tipo de insuficiência cardíaca que decorra na redução do ritmo dos batimentos. Sua função é regular e estimular, artificialmente, os batimentos cardíacos.

Seu sistema inclui um gerador de pulsos elétricos, um eletrodo e um programador e, para evitar interferência e comprometimento da sua função, é recomendado evitar a proximidade ou o uso de equipamentos que emitam atividades eletromagnéticas.

Que tipo de equipamentos podem interferir no marcapasso?

Algumas pessoas acreditam que o uso do marcapasso impede o manuseio de aparelho microondas, celular e até chuveiro elétrico, enquanto pesquisadores afirmam que os modelos atuais destes equipamentos não possuem componentes magnéticos em seu sistema.

Entretanto, a orientação médica é sempre conferir a compatibilidade do marcapasso com o equipamento em questão. Caso haja necessidade de usá-los, é recomendado que seja por um curto período, afastando-se rapidamente do perímetro de emissão da radiação – em média, dois metros.

Para algumas situações específicas, como é o caso das portas giratórias em bancos e dos portais detectores de metal dos aeroportos, o portador de marcapasso deve apresentar documento que comprove sua condição e solicitar o direito ao acesso por uma entrada alternativa. Exames de ressonância magnética também são proibidos.

Os Sistemas de Emergência Pessoal podem interferir no marcapasso?

Por via de regra, não.

O PERS 4200, um dos mais populares sistemas de emergência pessoal, consiste em um console conectado à linha telefônica fixa do usuário e pode ficar em um cômodo afastado do portador do marcapasso. Além disso, não há estruturas magnéticas em sua composição.

No entanto, a comunicação do PERS 4200 com seus acessórios (como a pulseira de emergência e o sensor de queda) ocorre por radiofrequência, que, em tese, poderia interferir no marcapasso. Neste caso, é preciso consultar o médico no intuito de identificar se a frequência utilizada pelo marcapasso implantado é afetada pela frequência utilizada pelos sistemas de emergência pessoal (que atuam na faixa de 315 MHz).

Para os Sistemas de Emergência Pessoal que operam pela rede celular (GSM), como o Mini Rastreador Pessoal IGO, a recomendação sugerida é evitar o uso do equipamento junto ao tórax – embora sejam mínimas as chances de interferência com este tipo de dispositivo.

Benefícios dos Sistemas de Emergência Pessoal usados em conjunto com o marcapasso

Ainda que sejam raros os episódios de falhas em marcapassos, esses eletrônicos não estão imunes às intermitências e danos. Portanto, para evitar consequências graves decorrentes de uma irregularidade com o dispositivo de situações que possam representar risco de vida para o usuário, é importante considerar um plano de contingência.

Os Sistemas de Emergência Pessoal, por exemplo, possibilitam que o usuário chame ajude em caso de emergência: ao pressionar apenas um botão, uma central 24 horas especializada atende o chamado e, ao identificar a necessidade, executa o plano de atendimento – como contatar familiares, plano de saúde ou ambulância.

Ou seja: além de não provocar interferência no funcionamento do marcapasso, os Sistemas de Emergência Pessoal podem ser muito eficazes atuando de forma complementar no cuidado aos pacientes que utilizam marcapasso. Dessa forma, em caso de falhas no marcapasso ou de acidentes com o usuário, o serviço de teleassistência é capaz de proporcionar socorro, especialmente quando não há ninguém por perto para prestar socorro.

Quer saber mais sobre como a teleassistência pode lhe ajudar? Solicite uma visita demonstrativa agora mesmo! Ligue para (51) 3018-6950, envie uma mensagem no WhatsApp para (51) 99998-0245 ou entre em contato no nosso site.

Continue Reading