Como conscientizar que o idoso precisa de ajuda?

Pessoas idosas tendem a ser teimosas. Muitas vezes ignoram que já possuem limitações impostas pela idade avançada e acreditam que são plenamente capazes de realizar todo o tipo de atividades como antes. Mesmo com dores e desconfortos, elas se recusam a admitir que possuem fragilidades e seguem a vida normalmente. O problema é que, em algum momento, eles não darão mais conta e isso pode acabar se tornando um perigo em potencial para a saúde dessas pessoas. Mas como conscientizá-las e convencê-las de que talvez precisem de ajuda?

O primeiro passo é deixar claro que, se tratado corretamente, é possível contornar problemas que podem ser limitantes para a sua qualidade de vida. Problemas de saúde na terceira idade são praticamente inevitáveis e, por menores que sejam, jamais devem ser ignorados. Conversar sobre o assunto, conscientizando-os de que é possível viver melhor aceitando receber cuidados, é o primeiro passo.  Consultar o geriatra frequentemente também é muito importante, já que esse profissional tem a capacidade para diagnosticar sintomas e tratar ou prevenir doenças que não manifestem sintomas. 

Outra questão são os idosos que acreditam que, por conseguirem realizar atividades corriqueiras com autonomia, não precisam de cuidado ou supervisão. Por mais saudáveis que sejam, pessoas com idade avançada correm o iminente risco de passar por algum incidente, como mal súbito ou quedas, por exemplo. Nesses casos, é mais difícil, para não dizer impossível, prever o que irá acontecer.  Qual seria, então, a solução? 

Tecnologias assistivas podem ajudar sem alterar rotina do idoso

Uma possível solução é evitar que os idosos fiquem sozinhos por longos períodos. Por isso, quando não conseguem dar a devida atenção, muitas famílias optam pela contratação de cuidadores especializados ou mesmo pela internação em residências de longa permanência. Dessa forma, o idoso estará amparado caso algum imprevisto aconteça. Por outro lado, nem sempre ele estará disposto a mudar a rotina e tão pouco aceitar a interferência de outras pessoas no seu dia a dia. Nesses casos, é possível contar com a tecnologia para proporcionar segurança e cuidado sem qualquer alteração na vida do idoso. 

Isso é possível graças a um serviço conhecido como Teleassistência, que é um sistema de monitoramento que proporciona que seu familiar idoso esteja seguro em qualquer situação, seja em casa ou na rua. Através de um botão de emergência, é possível acionar socorro com muita facilidade e rapidez. Um dos serviços mais conhecidos é o Vidafone. Nele, quando o botão de emergência é acionado, uma ligação é realizada para uma central de atendimento 24h onde um atendente especializado irá executar o plano de ação contratado, que pode envolver desde simplesmente comunicar familiares a até mesmo contatar serviços médicos.

É possível escolher entre dois modelos: O Vidafone fixo, indicado para idosos que costumam ficar sozinhos em casa.  Nesse as chamadas são realizadas através de uma base ligada à linha fixa de telefone. Com sistema de viva-voz de longo alcance, funciona mesmo quando o usuário está em outro cômodo da residência;  ou o Vidafone móvel, para idosos que costumam andar sozinhos na rua. Ele funciona através da linha telefônica móvel, com tecnologia GSM. A função é semelhante ao modelo fixo, com a diferença de que funciona também como rastreador GPS.

Converse com seu familiar idoso sobre a possibilidade de contratar um serviço que pode salvar a sua vida! Se quiser tirar alguma dúvida sobre o Vidafone, você pode entrar em contato conosco clicando aqui.
 

 

Compartilhar
Tire suas dúvidas