Como encarar o passar do tempo do jeito certo?

Qual o segredo para um envelhecimento saudável? A resposta para essa questão vai muito além dos óbvios – e não menos necessários – cuidados com o corpo e o organismo. Envelhecer bem significa, também, envelhecer com qualidade de vida. Pensando nisso, listamos atitudes que podem ser tomadas para proporcionar um envelhecimento feliz e saudável – para o corpo, a mente e a alma. 

6 atitudes para envelhecer bem

#1 Alimentação saudável

A primeira dica parece óbvia, mas é essencial em qualquer fase da vida, especialmente na velhice, quando o metabolismo torna-se mais lento. Consuma alimentos naturais variados, que são ricos em vitaminas e fibras. É importante mastigar muito bem os alimentos, pois isso ajuda na sensação de saciedade com a quantidade adequada de alimento. Não esqueça de beber água! A quantidade diária  adequada é de 35 ml/kg. A ingestão de água é essencial para a hidratação e absorção de nutrientes pelo organismo, além de proporcionar energia e disposição e minimizar o risco para doenças cardíacas.

#2 Prática regular de atividades físicas

Além de prevenir doenças como hipertensão, diabetes, osteoporose e colesterol alto, a prática de atividades físicas estimula a produção de endorfina, hormônio responsável por regular o humor. Caminhadas, natação, alongamento e yoga são ótimas opções para movimentar o corpo da pessoa idosa.  

#3 Exercícios para a mente

Ocupar o cérebro é essencial para a manutenção da saúde mental. Ler, escrever, fazer artesanato, palavras cruzadas, jogos… existem muitas opções. Escolha uma atividade que lhe traga prazer e invista seu tempo nela! Exercitar a mente, além de proporcionar bem estar, é essencial para prevenir doenças ligadas à perda da memória, como o Alzheimer. 

#4 Convívio Social

É muito importante manter vínculos e atividades sociais na rotina. Uma ótima forma de fazer isso e ainda aprender coisas novas é participando de cursos e workshops. Você também pode organizar grupos para desenvolver atividades, como caminhadas em grupo, clubes de leitura, etc. Desenvolver trabalhos voluntários também pode ser uma ótima ideia para interagir com outras pessoas e ainda praticar uma boa ação. 

#5 Realizar exames periódicos

Recomenda-se que, a partir dos 40 anos, já se comece a pensar no envelhecimento saudável. Realizar check ups e exames periódicos é essencial para identificar doenças em fase inicial e, assim, evitar que se agravem com o tempo. Além disso, tratar pequenas alterações que só podem ser identificadas com exames pode fazer uma grande diferença na sua qualidade de vida. 

#6 Preservar a autonomia  

Muitas pessoas pensam que envelhecer é sinônimo de tornar-se dependente. Porém, esse já é um conceito ultrapassado, já que os idosos têm chegado à terceira idade cada vez mais saudáveis e cheios de vitalidade. Sendo assim, muitos preferem manter a rotina independente após a aposentadoria. Alguns, inclusive, fazem questão de permanecer em seus lares, mesmo que isso signifique que terão de morar sozinhos. Se o idoso estiver saudável, não há motivos para não respeitar a vontade dele, afinal, é legítimo que queira permanecer no ambiente em que está acostumado. Muitos também mantém atividades fora de casa e muitas vezes se deslocam sozinhos pela rua. 

Uma das principais preocupações dos filhos quando os pais têm autonomia e passam muito tempo sozinhos é quanto à segurança deles. Por mais saudáveis que estejam, ainda são grandes as chances que algum incidente aconteça. Por isso, muitas famílias têm optado por contratar serviços de Teleassistência. Através desse serviço, em caso de emergências, o idoso aciona um botão de emergência (usado como pulseira ou pingente) e uma ligação é realizada para uma Central de Atendimento disponível 24 horas. O atendimento é feito por profissionais especializados, de acordo com o tipo e a gravidade da emergência.  Assim, ele pode ter uma rotina normal com a segurança de que, se um imprevisto acontecer ele estará amparado. Saiba mais sobre o serviço de teleassistência.

Compartilhar
Tire suas dúvidas