Coronavírus e Idosos

Os primeiros casos de contaminação por Coronavírus foram registrados na China em meados de dezembro do ano passado. Desde então, o vírus tem se espalhado pelo mundo, sendo considerada uma das maiores pandemias já registradas.  Os primeiros casos no Brasil foram confirmados no início de março e o pico de contaminação é estimado para o final de abril. Apesar da letalidade da Covid-19, doença causada pelo vírus, ser considerada baixa em relação a outras gripes,  ela demonstrou ser muito mais grave entre os idosos. 

Pacientes entre 60 e 70 anos têm uma probabilidade de 0,4% de morrer, aqueles com idades entre 70 e 80 anos têm 1,3% e os com mais de 80 anos, de 3,6%. Para se ter uma ideia, no atual surto que a Itália, um dos países que mais tem sofrido com o surto, está enfrentando, 83% dos que sucumbiram à infecção pela Covid-19 tinham mais de 60 anos de idade.

 Qual o motivo para o coronavírus representar mais risco para os idosos?  

Acredita-se que alterações no sistema imunológico, uma das consequências naturais do envelhecimento, sejam a razão pela qual o organismo dos idosos fique mais suscetível a patógenos como bactérias, fungos e vírus. À medida que o organismo envelhece, as respostas do sistema imunológico, que tem a responsabilidade de expulsar esses patógenos, se tornam menos eficientes. Em outras palavras, é mais difícil para eles emitir os sinais de alerta para que anticorpos “matem” as células infectadas. Além disso, é comum que ocorra durante o envelhecimento uma inflamação crônica, o que também prejudica a capacidade de resposta imune imediata. É como se o corpo ficasse mais lento na identificação do vírus, dando espaço para que se espalhe rapidamente pelo organismo.

Apesar dos esforços de cientistas e profissionais da saúde em todo o mundo, ainda não existe remédio ou vacina que cure ou imunize contra o novo coronavírus. Portanto, os idosos devem ter os mesmos cuidados que todas as pessoas:

  • Permanecer em isolamento social tanto quanto possível;

  • Evitar contato físico, principalmente com pessoas que tenham frequentado locais públicos;

  • Lavar as mãos frequentemente com sabão e água ou usar álcool em gel;

  • Higienizar objetos que são tocados com frequência;

  • Evitar o transporte público e ficar longe de reuniões de pessoas e aglomerações;

  • Beber bastante água e consumir alimentos ricos em vitaminas;

Porque é tão importante que os idosos permaneçam em distanciamento social?

Como já mencionamos, ainda não existem formas conhecidas de controlar essa infecção viral além de evitá-la. O vírus respiratório que provoca a  Covid-19 contagia principalmente pela tosse da pessoa doente, que pode espalhar gotículas de saliva contaminadas.  Ainda há a possibilidade de o vírus contaminar as superfícies em que a pessoa infectada tocou ou na qual tossiu. Consequentemente, a melhor maneira de proteger idosos vulneráveis ​​e as pessoas imunocomprometidas é ficar longe delas até que o risco desapareça.

O risco de contaminação por coronavírus é até 6 vezes maior do que o dos vírus Influenza, que causam as gripes comuns. O Ministério da Saúde já declarou que o sistema não terá condições de atender todos os pacientes que necessitarem de internação caso a projeção de casos para os próximos dias seja confirmado, então, além de proteger-se do risco, permanecer em isolamento contribui para que os hospitais consigam atender um maior número de pacientes. 

Compartilhar
Tire suas dúvidas