uma mulher idosa abraçando um homem idoso

Sintomas de infarto feminino: o que fazer?

As mulheres têm 50% mais de chance de infarto do que os homens. O que fazer em relação a esses dados?

O que é um infarto?

O infarto feminino ocorre quando um coágulo bloqueia o fluxo sanguíneo para o coração. Assim, sem a presença de sangue, a artéria perde oxigênio e morre.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 17 milhões de pessoas ao redor do mundo sofrem infarto anualmente.

As mulheres possuem mais risco de infarto?

Segundo estudos, as mulheres possuem 50% mais chance de infarto do que os homens. De acordo com o HCor, as artérias femininas são 15% mais estreitas que as masculinas. Além disso, o coração da mulher bate até 10% mais rápido do que dos homens, o que gera uma maior deterioração.

Estudos médicos apontam que, no Brasil, uma a cada cinco mulheres têm risco de sofrer um infarto. As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte entre elas.

Os sintomas do infarto nas mulheres também é um pouco diferente do que nos homens, podendo ser caracterizado por queimação e pontadas na região do peito.

Como identificamos um pré-infarto?

Alguns casos de infarto acontecem através de dores ou desconforto nos membros superiores, como braços, costas, estômago, pescoço ou mandíbula. Ou seja, nem sempre o infarto é acompanhado de dores fortes no peito. Entretanto, também pode ocorrer falta de ar.

Sintomas do infarto nas mulheres

Alguns sintomas são mais comuns aparecerem com as mulheres, tais como: enjoos, falta de ar, cansaço inexplicável, desconforto no peito e arritmia. 

Já os sintomas mais genéricos (comuns em mulheres e homens) são: dor no peito, náusea, vômito, suor frio e desmaio.

Quais os alertas para a emergência?

Havendo os principais sintomas é muito importante que a pessoa fique bastante atenta. Nem sempre falta de ar e enjoos são princípios de infarto, porém, se a mulher se enquadrar no grupo de risco é importante que procure ajuda o quanto antes.

Somente através de exames clínicos é possível afirmar que se trata de um infarto. Por isso, o ideal é que, na dúvida, o paciente procure um hospital ou atendimento médico.

Confira: Hipertensão em idosos. 

Como saber quem é do grupo de risco?

Dentre os fatores que aumentam a probabilidade de uma mulher sofrer um ataque cardíaco estão: hipertensão, diabetes, colesterol alto, sedentarismo, estresse, obesidade, histórico familiar e tabagismo. Lembrando que em relação ao tabagismo, o hábito de fumar aliado ao uso de anticoncepcionais é uma combinação trombogênica, podendo agravar os riscos de infarto.

Quais os exames de coração que diagnosticam problemas?

Os exames que podem identificar problemas cardiovasculares são:

  • Teste ergométrico;
  • Ecocardiograma;
  • Tomografia do coração e vasos;
  • Exame MAPA;
  • Radiografia de Tórax;
  • Angiografia digital;
  • Eletrocardiograma de repouso.

A importância do socorro imediato

Com o auxílio do Vidafone, o paciente fica assistido e protegido contra emergências. Assim que o usuário aperta o botão de emergência, os contatos são prontamente acionados. Leia também: Idosos que moram sozinhos. Autonomia e cuidado na medida certa.




Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *