Música ameniza sintomas de demência em idosos

A doença de Alzheimer, uma das variações da demência, é conhecida, principalmente, pelos sintomas irreparáveis de gradual perda de memória e desorientação. Quanto mais a doença evolui, mais difícil se torna lidar e se comunicar com o paciente que passa a depender totalmente de outras pessoas. Comportamentos agressivos e agitados são comuns, já que a doença neurodegenerativa faz com que ele esqueça desde as coisas mais simples, como reconhecer familiares, se alimentar e falar. No entanto, uma pesquisa da Gerontologia da Universidade de São Paulo (USP) aponta que ouvir músicas que façam parte da memória afetiva do paciente pode trazer à tona lembranças de emoções sentidas e até mesmo amenizar sintomas como a agitação, possibilitando mais qualidade de vida para o portador da doença e para aqueles que o cercam. 

Canções que fazem parte da memória afetiva têm influência positiva no quadro de pacientes com Alzheimer 

A música exerce influência sobre as pessoas antes mesmo do nascimento e assim continua durante a vida. No caso dos idosos, ouvir canções de épocas passadas remete à lembranças de épocas, afetos, lugares e experiências vividas. Nos pacientes com demência, emoções guardadas na memória vêm à tona quando essas músicas são reproduzidas e esse sentimento de pertencimento causa, momentamente, o conforto do reconhecimento.  De acordo com pesquisadores alemães, isso acontece porque a música fica armazenada em uma parte diferente do cérebro da que guarda a maior parte das nossas memórias, porém, ainda não existem estudos concretos que afirmem com certeza o motivo dessa parte da memória não ser afetada da mesma forma que as demais.

Como não é possível evitar o avanço da doença, formas de amenizar o sofrimento e proporcionar momentos de paz e conforto devem ser adotadas, mesmo que os efeitos sejam passageiros. Lembre-se que, mesmo com pouca consciência do que está acontecendo ao seu redor, o seu familiar ainda pode sentir o amor e o carinho dedicados a ele mesmo nos momentos mais difíceis.

Sistema de monitoramento pessoal proporciona mais segurança para o paciente com demência

A tecnologia proporciona outra forma de amenizar o sofrimento enfrentado pelo portador da doença e a da família.  Isso porque, através dela, é possível monitorar o idoso e, assim, poder socorrê-lo imediatamente caso seja necessário. O sistema de monitoramento pessoal para idosos conhecido como Vidafone móvel conta com a função de localizador GPS, ou seja, é uma forma de localizar e socorrer o usuário caso ele se perca ou “fuja”, episódios comuns entre portadores de demência. O aparelho, que deve ser usado junto ao corpo como pingente, também possui sensor de quedas embutido, importante principalmente nos estágios mais avançados da doença, quando o idoso perde a mobilidade e fica desorientado mesmo dentro de casa. 

Compartilhar
Tire suas dúvidas