Posts Taged cuidados-com-idosos

o que fazer com idosos

Aproveitar o tempo com quem se ama é fundamental para uma vida feliz - com a família não é diferente. Neste post, veja 5 dicas de o que fazer com idosos!

A solidão é uma das principais queixas entre os idosos. Mesmo os que moram e convivem com os familiares sentem-se sozinhos em meio à rotina agitada do lar e das pessoas com quem interagem. Devido à fragilidade da idade avançada, eles já não acompanham o ritmo dos mais jovens, não dominam grande parte dos assuntos modernos e também não querem “incomodar” – daí pode vir a dificuldade dos familiares em encontrar o que fazer com idosos para fortalecer os laços afetivos.

Por isso, é muito importante que os filhos e netos dediquem uma parte do seu tempo para realizar atividades que coloquem o idoso no centro das atenções por alguns momentos. Para ajudá-lo nessa missão, citamos abaixo cinco coisas que você pode fazer para tornar a rotina dos seus pais idosos mais agradável!

O que fazer com idosos: 5 atividades para fazer com os pais idosos

1 – Conversar

Isso mesmo. Parece bobo, mas na correria do dia-a-dia passa despercebido o fato de que os diálogos familiares são cada vez mais raros. A tecnologia proporciona a possibilidade de interagir instantaneamente com quem está longe, mas, consequentemente, pode afastar quem está perto. Que tal reservar um tempo do seu dia para se dedicar exclusivamente a ouvir o que seus pais têm a dizer? Estimule-os perguntando sobre como foi o dia, o que eles têm lido ou visto na televisão, a opinião deles sobre algo que está acontecendo; enfim, interaja e dê atenção a eles.

2 – Pedir para ouvir histórias e ver fotos do passado

Idosos adoram relembrar os acontecimentos que viveram quando eram jovens. Demonstre interesse nas histórias e faça perguntas sobre seus amigos, parentes, antigos namorados… Você vai se surpreender com a quantidade de eventos bacanas que seus pais viveram e você nunca imaginou. Aproveite a oportunidade para saber mais sobre a sua própria vida e o passado da sua família.

3 – Passear pela vizinhança

Talvez você não tenha o costume de circular com calma pelas ruas do seu bairro, mas, muito provavelmente, os seus pais tinham. Lembre-se que as redes sociais antigamente eram as ruas e a vizinhança. Convide-os para uma caminhada pelos arredores de casa ou em praças e parques da sua cidade. Interagir com a natureza, com outras pessoas e animais com certeza vai tornar o dia deles mais feliz.

4 – Viajar

Seja para conhecer um lugar novo ou voltar a algum local já conhecido, tenha a certeza de que viajar revigora e repõe as energias de qualquer pessoa – inclusive dos seus pais. Por isso, essa é uma ótima dica de o que fazer com idosos. Além disso, as lembranças e recordações do passeio vão preencher a alma e o coração dos seus pais por um bom tempo. Escolha um destino com opções de atividades de lazer para todos os gostos e planeje uma viagem em família!

Confira algumas dicas de destinos para viajar com idosos.

5 – Praticar atividades e jogos

Que tal uma partida de damas, xadrez, banco imobiliário ou um carteado? Além de proporcionar um momento de descontração e divertimento em família, esse tipo de atividade ainda estimula o cérebro e a memória do idoso (você  pode conferir mais dicas para estimular a memória do idoso clicando aqui). Proponha um desafio ou faça alguma aposta. Dê preferência para atividades que envolvam o raciocínio e a tomada de decisão, desafiando a mente a cumprir ações que vão testá-la e treiná-la para ser cada vez mais ativa. Isso ainda ajudará a prevenir doenças degenerativas, como o Alzheimer, por exemplo.

Essas são algumas dicas muito simples e fáceis de colocar em prática que podem fazer uma grande diferença na autoestima dos seus pais. Agora você já sabe o que fazer com idosos para aproveitarem o tempo junto e terem uma relação ainda mais cheia de carinho, amor e cuidado!

Continue Reading
Dispensador de medicamentos automático

Você conhece alguém que sempre esquece de tomar os remédios? Conheça o Dispensador de Medicamentos automático, capaz de acabar com esse problema!

A polifarmácia é um fenômeno muito comum no Brasil, especialmente entre idosos: segundo estudos, estima-se que 6 entre 10 idosos consumam mais de cinco medicamentos diariamente. Com tantos comprimidos e horários para administrar, são recorrentes os episódios de esquecimento ou de ingestão do remédio na hora errada, o que pode causar inúmeros prejuízos à saúde – desde ineficiência do medicamento, até intoxicação. A boa notícia é que há uma tecnologia capaz de sanar esse problema: o Dispensador de Medicamentos Automático.

Ele consiste em um equipamento eletrônico que dispara um sinal sonoro na hora de tomar o remédio e dispensa somente o comprimido correto por vez, evitando qualquer confusão.

Incrível, não é? Continue lendo e saiba mais sobre o Dispensador de Medicamentos automático!

Como funciona o Dispensador de Medicamentos Automático?

O equipamento funciona como um porta medicamentos, com a vantagem de possuir um relógio programável, em que o idoso ou seu familiar configura os horários corretos para tomar os remédios, conforme prescrição médica.

No horário agendado, o equipamento dispara um alarme e acende uma luz vermelha, deixando disponíveis apenas os medicamentos daquele horário. Para retirá-los, o usuário deve virar o equipamento. Com o compartimento para baixo,  os remédios caem na mão.

Devido ao sensor de atividade presente no interior do equipamento, caso o usuário não faça o movimento de retirada no horário determinado, o dispensador de medicamentos automático continuará alertando pelos próximos 30 minutos e, em seguida, continuará a sua programação até o próximo horário.

Além disso, caso o equipamento esteja vinculado a um Sistema de Emergência Pessoal PERS 4200, e o usuário não retire os medicamentos, será enviado um alerta de emergência à Central de Monitoramento 24 horas e os contatos cadastrados serão acionados para verificar o motivo.

Reposição dos medicamentos

Há, no equipamento, 28 compartimentos para inclusão de remédios. Ou seja, são 28 horários a serem programados. Em cada compartimento, é possível adicionar até 20 medicamentos de tamanhos diferentes para serem tomados no mesmo horário, incluindo comprimidos, cápsulas e drágeas.

A frequência de reposição dos medicamentos dependerá da necessidade prescrita pelo médico, conforme a seguir:

  • Tomar remédios 1 vez ao dia: reposição a cada 28 dias

  • Tomar remédios 2 vezes ao dia: reposição a cada 14 dias

  • Tomar remédios 3 vezes ao dia: reposição a cada 9 dias

  • Tomar remédios 4 vezes ao dia: reposição a cada 7 dias

Vale lembrar que podem ser programados até quatro horários de alarme por dia, indicados pelo cartão móvel que mostra o dia da semana e o período do dia, divididos em manhã, tarde, noite e antes de dormir.

Para que o usuário não tenha acesso aos demais medicamentos, o equipamento pode ser trancado com uma chave especial, que acompanha o kit.

– Clique aqui e peça o seu Dispensador de Medicamentos Automático!

Por que utilizar o Dispensador de Medicamentos?

O Dispensador de Medicamentos automático tem sido a solução mais eficiente e completa para um dos problemas mais comuns da terceira idade: esquecer de tomar os remédios ou tomá-los no horário errado.

Segundo a Cronofarmacologia (ciência que estuda a influência do horário no consumo de medicamentos), quando um remédio é ingerido fora do horário indicado, seus efeitos podem ser enfraquecidos ou potencializados. Quando não faz o efeito desejado, o medicamento compromete o tratamento de saúde; quando potencializado, ele pode desencadear uma série de problemas, visto que o organismo do idoso absorve as substâncias de forma mais lenta. Por isso, condição pode proporcionar uma intoxicação medicamentosa por consumo inadequado.

Para quem o Dispensador Automático é indicado?

  • Idosos que moram ou passam muito tempo sozinhos;

  • Pessoas que tomam muitos remédios diariamente;

  • Pessoas portadoras da Doença de Alzheimer;

  • Pessoas com TDA (Transtorno do Déficit de Atenção);

  • Pessoas com TAB (Transtorno Afetivo Bipolar);

  • Pessoas que apresentem esquecimento frequente.

Se você deseja adquirir o Dispensador de Medicamentos automático, entre em contato conosco! Você pode ligar para (51) 3018-6950, enviar WhatsApp para (51) 99998-0245 ou, se preferir, deixe sua mensagem em nossa página e nós entraremos em contato com você!

Continue Reading

Todo mundo adora viajar, inclusive os idosos. Que tal levá-los em sua próxima viagem? Confira 5 dicas de destinos incríveis para viajar com idosos!

Viajar é sempre uma delícia, não é? E o mesmo vale para viajar com idosos; já imaginou levar seus pais ou avós para curtirem essa experiência? Os idosos adoram viajar, e a mudança no perfil da terceira idade e o crescimento do turismo têm contribuído para que muitos deles realizem o sonho de conhecer lugares no Brasil e no mundo.

Deu vontade de viajar com seu familiar idoso, mas não sabe para onde levá-lo? Neste artigo você vai conhecer os cinco melhores destinos nacionais para pessoas na terceira idade, considerando infraestrutura, conforto, segurança e atrações. Confira!

5 destinos para viajar com idosos

 Morretes/PR

Morretes, no Paraná

Imagem: Centro de Morretes. Prefeitura Municipal de Morretes.

Localizada no litoral do Paraná, Morretes é uma cidade encantadora. Ela chama a atenção pela preservação dos prédios históricos e casarões antigos, e oferece uma experiência incrível para pessoas de todas as idades.

Por isso, Morretes atrai muitos turistas pela história, beleza e natureza, mas principalmente pela gastronomia – é famosa pelo tradicional Barreado, prato típico da região.

Também é lá o destino final (ou o início) do Passeio de Trem mais bonito do Brasil: a viagem parte da Rodoferroviária de Curitiba e dura aproximadamente três horas, passando por paisagens de tirar o fôlego, incluindo a maior área de Mata Atlântica preservada do país. O trajeto é acompanhado por um guia turístico e a operadora do passeio oferece serviço de bordo nos vagões.2 Serra Gaúcha/RS

Serra Gaúcha, Rio Grande do Sul

Imagem: Rua de Gramado. Prefeitura Municipal de Gramado.

No extremo sul do país, as atrações para viajar com idosos são bem diversificadas: incluem roteiro de compras, gastronomia, museus, parques, fábricas de chocolate, templos religiosos, visitas às vinícolas da região e até passeio de Maria Fumaça.

As cidades da região – Gramado, Canela, Nova Petrópolis, Caxias do Sul, Garibaldi, Carlos Barbosa e Bento Gonçalves – oferecem muitos encantos históricos e preservam muitos elementos das colonizações alemã e italiana.

Considerado o Melhor Destino de Inverno do Brasil, a Serra Gaúcha também atrai turistas pelos eventos nacionais e internacionais, como o Festival de Cinema de Gramado, a tradicional Festa da Uva, o Festival Internacional de Teatro de Bonecos de Canela e um dos maiores espetáculos natalinos do mundo, o Natal Luz.

Ouro Preto/MG

Ouro Preto, Minas Gerais

Imagem: Ruas de Ouro Preto. Muita Viagem.

Considerada Patrimônio Histórico da Humanidade, Ouro Preto é um dos destinos turísticos mais amados pelos idosos. Com sua variedade de atrações, com visita às tradicionais Igrejas Nossa Senhora do Carmo e São Francisco de Assis, ao Teatro Municipal, à Praça Tiradentes e ao Museu da Inconfidência, a cidade conta a sua história e cultura por meio da arte e da arquitetura.

Para os amantes das locomotivas, a cidade oferece um passeio de Maria Fumaça, cujo destino final é Mariana. O trajeto é repleto de paisagens naturais deslumbrantes e certamente deve estar no roteiro turístico da região.

Ouro Preto também abriga diversos eventos culturais nacionais e internacionais, como o Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana, a Mostra de Cinema de Ouro Preto e o Festival Internacional Tudo é Jazz.

Águas de Lindóia/SP

Águas de Lindóia, São Paulo

Imagem: Praça Adhemar de Barros. Associação dos Hoteleiros de Águas de Lindóia.

Essa cidade bem afastada da capital paulista e próxima de Minas Gerais tem tudo o que os idosos adoram: tranquilidade, segurança, ar puro e lazer. Seu principal atrativo são as águas termais, disponíveis em muitos balneários municipais e privados da cidade. A temperatura das águas é elevada, proporcionando assim efeito terapêutico e relaxante.

Por ser uma cidade serrana, possui clima ameno, e a arquitetura histórica da cidade traz a sensação de aconchego. A cidade também conta com ampla variedade gastronômica e paisagens apaixonantes – ideal para quem ama a natureza.

Caldas Novas/GO

Caldas Novas, Goiás

Imagem: Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

Caldas Novas pode ser considerado o destino preferido dos idosos no Brasil. Contempla o maior manancial hidrotermal do mundo, com capacidade terapêutica comprovada. O local possui o maior complexo de hotéis da Região Centro-Oeste, garantindo conforto e conveniência aos hóspedes de todas as idades. Além dos resorts e parques aquáticos, o Parque Estadual da Serra de Caldas Novas tem cachoeiras de águas quentes, cujas temperaturas chegam a 51º C.

Com todos esses atrativos, a região é muito apreciada por quem procura estar em contato com a natureza, praticar ecoturismo e relaxar. E além das belezas naturais, a cidade promove turismo religioso e histórico, abriga o Museu da Embaixada de Pernambuco Bonecos Gigantes de Olinda e a Feira do Luar, com mais de 150 barracas de artesanato e gastronomia.

Alguns familiares ficam receosos de levar os entes queridos mais velhos em viagens e passeios longos, mas a verdade é que, com bastante atenção e cuidado, viajar com idosos pode ser muito prazeroso.

É importante, sim, considerar suas limitações, optar por lugares em que vocês possam passear sem pressa, tenham pausas para descanso e um plano de contingência à disposição, mas, planejando com atenção, vocês terão bons momentos para recordar.

Porém, caso não seja possível levar o idoso em sua viagem ou ele não queira ir, há formas de manter o cuidado e o canal de comunicação com ele mesmo estando fisicamente distantes, por meio da teleassistência. Os Sistemas de Emergência Pessoal garantem que o idoso receba atendimento de emergência em qualquer situação, pressionando apenas um botão. Descubra como funciona o serviço de teleassistência e porquê ele vale a pena para idosos!

Continue Reading
Cuidar dos pais na velhice

Cuidar dos pais na velhice é uma honra, mas também pode causar sobrecarga física e emocional. Descubra como você pode integrar a família nos cuidados ao idoso!

Quem assume a tarefa de cuidar dos pais na velhice sabe que o mais importante no trato com o idoso é o amor, a proteção e a manutenção da sua qualidade de vida. Há muitas formas de tomar conta dos pais, seja cuidando deles no conforto de seus próprios lares ou levando-os para sua casa; o lugar não importa, o essencial é o carinho e a atenção que estão sendo dispensados a eles.

Como cuidar dos pais na velhice?

Essa não é uma missão simples, e, assim como toda missão, têm seus embates e dificuldades – que são somados à dedicação de tempo e aos esforços físico e mental. E para lidar com isso, a família precisa estar unida (em especial os filhos), para discutirem sobre os cuidados que serão prestados antes mesmo de surgir a necessidade de deles.

É preciso dividir as responsabilidades, pois é muito comum que todos atribuam os cuidados a apenas um dos irmãos, gerando, assim, sobrecarga sobre o cuidador familiar e comprometendo a harmonia familiar.

Portanto, mesmo que um dos irmãos decida ir morar com o idoso ou levá-lo para morar em sua casa, é necessário integrar toda a família quando o assunto é cuidar dos pais na velhice. E como fazer isso? Com diálogo e empatia.

Bem-estar do idoso em primeiro lugar

Descubra quais os planos de seus pais, se eles puderem decidir. Eles desejam envelhecer em sua própria casa ou se aproximar de um dos filhos?

Seria mais sensato eles mudarem para uma casa mais barata, talvez uma comunidade de idosos independentes onde eles terão mais interação com outras pessoas na terceira idade, ou suas necessidades seriam melhor assistidas em uma casa de repouso, por exemplo?

Você e seus irmãos também devem observar a saúde e a capacidade atual de seus pais para viver de forma independente. Assim você saberá se realmente eles estão precisando de ajuda agora.

Procure por alguns sinais de alerta como:

  • Maus hábitos alimentares – falta de apetite ou perda de peso. Eles são capazes de cozinhar para si próprios? Eles guardam alimentos saudáveis na geladeira?

  • Má higienização – eles estão tomando banhos regulares e mudando as roupas como costumavam fazer? Eles estão cuidando das unhas e dos dentes?

  • Não cuidam do lar – ele não é tão limpo como antigamente?

  • Esquecem com facilidade – um ótimo indicador são panelas queimadas, pois isso mostra que às vezes eles colocam a panela no fogo e esquecem completamente. Além disso, investigue se eles estão falhando com os compromissos, deixando de tomar os remédios, entre outros esquecimentos – estão escondendo dinheiro e depois não lembram onde deixaram, por exemplo.

7 DICAS PARA AUMENTAR A QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE

Integrando a família nos cuidados

Promova uma reunião com os irmãos para decidirem em conjunto sobre tudo o que envolve a qualidade de vida do idoso. Essa, certamente, não é uma conversa qualquer, que você faz de forma esporádica por telefone, ou quando as coisas não estão muito bem. Nesse papo, vocês tomarão decisões juntos, sempre com o objetivo de atender às necessidades do idoso e levando em conta a saúde e a felicidade de seus entes queridos.

Exponha o que você sente, as suas dificuldades físicas, emocionais e financeiras e proponha que todos participem ativamente desses cuidados, mesmo que à distância.

Dicas para a reunião em família:

  • Sugira um almoço ou um jantar, para que o clima fique mais leve e descontraído;

  • Conduza a conversa e certifique-se de que sejam abordados todos os tópicos necessários;

  • Deixe-os saberem da condição atual do idoso, quais são os prognósticos médicos e necessidades futuras;

  • Certifique-se de que você não ficará sobrecarregado e possa cuidar da sua própria qualidade de vida;

  • Caso você fique responsável por administrar o dinheiro, comprometa-se a prestar contas periodicamente;

  • Ao final, compartilhe com todos os pontos acordados (seja por escrito, por e-mail, por mensagem etc).

Cuidar dos pais na velhice é uma missão nobre, apesar das dificuldades que existirão. Ao integrar a família no cuidado ao idoso, o fardo fica bem mais leve e saudável para todos.

MAIS DICAS: VEJA COMO LIDAR COM IDOSOS TEIMOSOS

Continue Reading
Como funciona o monitoramento de idosos a distância

O monitoramento de idosos a distância já é uma realidade: idosos mantém sua autonomia e a família fica mais tranquila. Saiba como funciona a teleassistência!

Quem tem um idoso na família, sabe o quanto é difícil ficar de olho nele. Por mais saudável e ativo que ele seja, sempre gostamos de saber se está tudo bem, não é mesmo? Entretanto, nossos velhinhos querem privacidade, manter sua independência e realizar suas atividades com autonomia, mesmo quando sabemos que a idade avançada já os limita um pouquinho. Segundo o IBGE, a cada ano, mais idosos têm optado por viver sozinhos. E não há nada de mal nisso, desde que eles possuam capacidade física e mental para tanto, e os familiares possam acompanhá-los, nem que seja de longe. Os Sistemas de Emergência Pessoal são a solução mais acessível e segura para realizar o monitoramento de idosos a distância. Eles permitem, justamente, que os familiares possam garantir a segurança dos idosos enquanto estes mantêm sua autonomia.

Mas você deve estar se perguntando: com tantas opções de tecnologia, como smartphones e computadores, vale a pena ter um serviço de monitoramento a distância?

Nós garantimos que sim e vamos mostrar o porquê!

Como os Sistemas de Emergência funcionam?

O monitoramento de idosos a distância é realizado por meio dos Sistemas de Emergência Pessoal, também conhecidos como Sistemas de Teleassistência.

São diversos equipamentos, categorizados em “uso dentro de casa” e “uso fora de casa”. Cada tipo de equipamento tem sua particularidade e é mais indicado para um perfil de usuário, mas todos eles têm como objetivo promover a autonomia dos idosos e a tranquilidade dos familiares.

Uso dentro de casa

Nessa modalidade, o equipamento instalado na casa do usuário é o PERS 4200. Ele é um console que fica conectado à linha telefônica fixa e o usuário recebe um botão de emergência à prova d’água e de longo alcance, que pode ser utilizado como pulseira ou pingente.

Em caso de emergência, o usuário pressiona apenas um botão e é imediatamente atendido por um atendente especializado, que identifica a ocorrência e direciona o atendimento conforme plano de ação: acionar os familiares, o plano de saúde, a ambulância etc.

Essa é a grande vantagem da teleassistência sobre outras tecnologias habituais: com apenas um toque, o usuário é atendido e sua solicitação é encaminhada para a solução mais adequada.

Para entrar em contato diretamente com o idoso, é só ligar para o telefone fixo e ele poderá atendê-lo pressionando o botão de emergência. Isso garante que vocês conversem mesmo que o idoso esteja em outro cômodo da casa – pelo viva-voz e microfone do console.

E para ampliar ainda mais a rede de cuidados, podem ser adicionados acessórios ao PERS 4200. Os principais modelos são o Sensor de Quedas e o Dispensador de Medicamentos. Saiba mais sobre eles:

  • Sensor de Quedas: é um pingente com botão SOS que identifica, automaticamente, quando há uma queda e envia o comando de emergência. A diferença entre o Sensor de Quedas e o Botão de Emergência é que o primeiro possibilita que o idoso seja atendido mesmo se estiver inconsciente e não consiga pressionar o botão.

  • Dispensador Eletrônico de Medicamentos: é um equipamento que permite organizar os medicamentos do idoso e emite um alerta no horário configurado para cada um. São 28 nichos e comporta, em média, 10 comprimidos em cada.

Estes equipamentos são indicados para idosos que moram sozinhos ou passam boa parte do dia sozinhos em casa. Para pessoas que consomem medicamentos regularmente e que possuem histórico de queda, os acessórios completam as opções de cuidados.

Uso fora de casa

O Mini Rastreador Pessoal IGO é um Sistema de Emergência móvel, que funciona em qualquer lugar por meio da rede celular. Além do botão SOS para chamar emergência sempre que precisar, o sistema móvel permite que os familiares possam rastrear a localização do idoso em tempo real. Esse é um modelo resistente à água e conta, também, com sensor de queda embutido.

Quando há uma situação de emergência e o idoso pressiona o botão, todos os contatos cadastrados recebem um SMS com a localização do idoso. Imediatamente, o equipamento começa a discar para a central de monitoramento de idosos a distância 24h, que executa o plano de ação.

Este equipamento é perfeito para os idosos ativos, que saem desacompanhados e buscam ter a tranquilidade de que serão prontamente atendidos em caso de emergência.

Você já sabe qual o serviço de monitoramento à distância ideal para seu familiar idoso? Faça o download GRÁTIS do “Guia Prático – Qual a melhor opção de Cuidado para Idosos”!

Continue Reading
A importância da acessibilidade para idosos

Além da mobilidade reduzida, muitos idosos enfrentam outras batalhas diárias para se locomover. Leia mais sobre a importância da acessibilidade para idosos!

Com o avançar da idade, os riscos de quedas e acidentes domésticos aumentam. Juntamente com a fragilidade muscular e óssea, as debilidades visuais, auditivas e de equilíbrio, essa situação pode transformar utensílios rotineiros em verdadeiros obstáculos na acessibilidade para idosos.

A questão é tão séria que existe até legislação garantindo o direito do idoso à mobilidade – aliás, o Brasil tem uma das mais avançadas leis de mobilidade social. Porém, ela vem sendo praticada apenas em novas obras públicas, enquanto as construções antigas continuam trazendo riscos e até contribuindo para o isolamento social dos idosos mais debilitados.

Por isso, é importante atentar-se aos fatores de risco e tomar medidas preventivas, evitando acidentes cotidianos que provoquem lesões e dificultem ainda mais a mobilidade na terceira idade. Desde as característica do solo até detalhes na roupa do idoso, como bolsos e botões, podem fazer toda a diferença. Conheça, a seguir, atitudes simples que podem facilitar muito a mobilidade e a acessibilidade para idosos.

Reduza os riscos em casa

Para oferecer um ambiente aconchegante ao idoso, que permita sua mobilidade com independência e segurança, é necessário adotar uma série de adaptações. Confira:

  • Evitar tapetes de tecido sobre pisos encerados, que podem ser escorregadios;

  • Evitar qualquer objeto no chão que crie obstáculos para a passagem, tais como: extensões elétricas, mesas de centro, brinquedos de crianças, entre outros;

  • Prefira sofás e poltronas que tenham braços firmes, pois servem de apoio ao levantar-se;

  • Organizar ambientes bem iluminados, aumentando a probabilidade do idoso enxergar os obstáculos;

  • No banheiro, evitar box de vidro e dispor de barras de apoio (tanto no box, quanto ao lado da privada). Também opte por tapetes antiderrapantes;

  • Substituir os armários muito altos por modelos em que o idoso consiga alcançar os objetos que precisa sem precisar usar banquetas ou escadas.

Reduza os riscos na rua

Atualmente, os idosos já são 12% da população brasileira. E em 40 anos eles serão um terço dos brasileiros. Embora a quantidade de idosos seja crescente, não é comum vê-los muito nas ruas, devido ao medo de quedas e de assaltos e, também, pela falta de estrutura em vias públicas que proporcionem acessibilidade para idosos.

No entanto, a interatividade social é importantíssima para manter o cérebro ativo e ajuda a evitar a demência. Além disso, sair às ruas dá também ao idoso o sentimento de pertencimento, prevenindo também a depressão (que pode motivar o surgimento de diversas outras doenças).

Confira, abaixo, medidas que ajudam a deixar o idoso mais seguro ao sair para a rua:

  • Sempre que possível, acompanhe-o à primeira visita em algum local, ajudando a construir uma rota com os trajetos mais seguros, com locais para atravessar a rua, melhores calçadas para andar, entre outros;

  • Dar sempre preferência a estabelecimentos comerciais que sejam adaptados para receber o idoso, tanto com sua estrutura física, quanto com atendimento prioritário e especializado (esses, aliás, são direitos do idoso previstos em lei);

  • Evitar que o idoso esteja fora de casa ao anoitecer e em dias de chuva, cuja visibilidade fica mais prejudicada, favorecendo quedas;

  • Utilizar os serviços de “corridas para a família” nos aplicativos de transporte (Uber, 99 POP, Cabify, entre outros), no qual você pode chamar o carro do seu celular para o idoso, que está em seu respectivo endereço. Dessa forma, ele consegue cumprir com seus compromissos com mais conforto e segurança;

  • Utilizar algum dispositivo de localização, por onde os familiares possam monitorá-lo em tempo real e receber alertas automáticos em caso de acidentes. Um exemplo desse tipo de aparelho é o Mini Rastreador IGO!

De fato, as medidas indicadas neste artigo não eliminam totalmente os riscos de acidentes. Mas contribuem muito para que o idoso consiga ter mais autonomia, independência e interatividade social no seu cotidiano, sentimentos esses que interferem diretamente na sua saúde e bem-estar.

Continue Reading