Posts Taged cuidados-com-os-idosos

Pilates para idosos

Conheça os principais benefícios do pilates para idosos

Podemos observar que atualmente a terceira idade está buscando cada vez mais independência, autonomia e saúde. Mas através de quais métodos eles buscam o envelhecimento saudável?

O pilates é um exercício que tem ganhado bastante visibilidade quando o assunto são idosos. A prática é benéfica, pois ajuda a prevenir doenças, reduz dores, previne lesões, corrige a postura, fortalece o corpo, aumenta o equilíbrio e proporciona o bem estar. Além disso, os pilates engloba uma série de exercícios que são feitos de maneira calma e eficaz. Sendo assim, diminuem as chances de movimentos que prejudiquem ou causem dano a saúde do idoso.

Vários métodos são importantes para se alcançar a terceira idade com saúde, dentre eles, a prática de atividades físicas ganha uma imensa importância. Além de prevenir e desacelerar as perdas de funções cognitivas, comuns nessa época da vida, melhora a resistência física e facilita a confiança para uma vida mais independente!

O pilates é uma atividade que é altamente recomendada para idosos porque, além de promover a prática de exercícios físicos, é uma atividade que é sempre acompanhada por um profissional fisioterapeuta.

Veja quais são os principais benefícios dessa atividade!

Pilates para idosos reduz as chances de quedas

As quedas na terceira idade são um problema grave na vida do idoso. Para evitar esse problema já existem algumas tecnologias que atuam na detecção de quedas de forma automática. Isso evita complicações pós quedas já que dessa forma o idoso consegue ser socorrido mesmo que esteja inconsciente.

Especialistas apontam que 37% dos idosos caem pelo menos uma vez ao ano.

Além disso, após sofrer uma queda o idoso pode não só se ferir fisicamente, mas a insegurança e o medo podem desencadear uma série de problemas. A Síndrome Pós Queda é um exemplo disso. Essa síndrome é um mal para o idoso, pois após traumatizar-se com a queda, fica refém de si mesmo e tende a ficar recluso ou evitar certas atividades.

As técnicas disponibilizadas pelo pilates minimizam os efeitos do envelhecimento, pois, ajudam a manter a saúde e as funcionalidades do corpo. O pilates é conhecido como arte do controle e do equilíbrio da mente em comunhão com o corpo. Portanto, visa o controle consciente dos movimentos, aperfeiçoando o físico.

O pilates tem como base seis princípios, que são:

  • Respiração – A respiração correta utiliza dos músculos do abdômen, coordenando-os com os movimentos feitos em atividade;
  • Centralização – Esse é um termo criado por Pilates. A centralização tem como objetivo trabalhar o conjunto de músculos que ajuda a região central do corpo;
  • Concentração – É o pensamento do movimento consciente, que tem como objetivo, aumentar o sensorial do sistema nervoso. Fazendo com que envie mais estímulos aos músculos que vão ser trabalhados;
  • Controle – Utilizar a mente para controlar os movimentos, mantendo um padrão suave;
  • Precisão – Fazer exercícios de forma controlada e eficaz;
  • Fluidez – movimentos contínuos e ritmados.

Os exercícios realizados no pilates têm como um dos objetivos o fortalecimento dos aspectos fisiológicos da pessoa idosa. Pensando em evitar disfunções a repetição dos exercícios executados, melhora não só a massa muscular, mas também o equilíbrio o que contribui na redução de quedas na terceira idade.

Por isso, é importante que o profissional da área tenha como objetivo: manter a capacidade funcional entendendo a particularidade de cada idoso. Com isso, é possível manter plena as habilidades mentais e físicas, por fim conquistar maior autonomia e independência!

Melhora na articulação e reduz os sintomas da osteoporose

Após os 35 anos de idade os ossos começam a passar por um processo de perda de massa. É um processo fisiológico comum quando estamos caminhando para a terceira idade. A falta de nutrientes relacionados ao cálcio é um dos fatores que nos levam a osteoporose.

Mas como isso se relaciona com o pilates? Simples: o pilates é considerado um dos possíveis tratamentos para a osteoporose.

Por ser um método eficiente no desenvolvimento consciente de movimentos, o pilates é uma atividade que promove um desenvolvimento a longo prazo. Além disso, por ser feito sob supervisão de um fiseterapeuta. Pode-se dizer que o pilates tem baixo risco de provocar lesões ou sobrecarga nos ossos, devido à sua metodologia.

Idosos que possuem dores nas articulações tendem a melhorar com a atividade. Os movimentos de tração e tensão melhoram aspectos como a força e a flexibilidade. Isso tudo favorece uma remodelagem óssea.

Melhora a circulação sanguínea

Como já falamos antes, o pilates tem como um de seus principais métodos o uso correto da respiração ao executar um exercício. Por isso a prática dessa atividade é favorece a prevenção contra a má circulação sanguínea no corpo.

Para um fluxo venoso saudável é preciso que os músculos do abdômen sejam trabalhados em conjunto com uma respiração correta. A respiração feita de maneira incorreta acarreta em diversos danos à saúde. O mais comum é a dificuldade em manter o fluxo venoso, devido ao ar reprimido que aumenta a pressão intra-abdominal.

Os especialistas dão as seguintes dicas:

  • Usar roupas leves e que não apertem a cintura;
  • Durante as práticas de exercícios, utilize tênis leves e anatômicos;
  • Lembre-se que a respiração durante o exercício é muito importante;
  • O peso não é fator prejudicial, mas antes de começar a praticar exercícios, procure por um profissional capacitado.

Previne doenças como o AVC e o ataque cardíaco

O AVC, ou Ataque Vascular Cerebral, é um dos males que mais deixa sequelas em idosos e é o segundo fator que mais causa mortes no mundo. Resultante da falta de irrigação sanguínea ao cérebro, o AVC pode ser prevenido através do pilates.

Como falado anteriormente, exercícios de respiração contribuem de forma significativa para que se tenha um fluxo sanguíneo funcional e saudável. Além disso, o pilates também contribui na reabilitação de pacientes acometidos pelo AVC.

Além de fortalecer os músculos, a atividade devolve uma postura correta, recupera os movimentos musculares e trabalha também com a mente do praticante. Isso ajuda o paciente a ter bons resultados em sua recuperação e acelerá-la.

Proporciona bem-estar e ajuda na saúde mental

Muito se sabe sobre a parte física envolvida no pilates, mas pouco se fala nos benefícios mentais. Outra base fundamental da atividade é a concentração. O método usado no pilates exige concentração constante. Buscando pela aprimoração do movimento, é preciso manter o foco, para que corpo e mente estejam sincronizados.

Essa medida ajuda não só na concentração, mas também no desenvolvimento de várias outras funções mentais. Um exemplo disso pode ser a memória, desenvolvida pela repetição de movimentos complexos e que treinam em especial essa capacidade mental.

Assim, o pilates para idosos previne o estresse, ansiedade e ajuda na autoestima do idoso. A tensão muscular pode desencadear alguns males mentais. Os exercícios aplicados vão além do corporal. Em conjunto com os exercícios que trabalham os músculos e ajudam no combate da atrofia ou deterioração das articulações, a respiração executada de maneira correta tem como benefício o relaxamento, o que ajuda a manter a calma.

Gostou do nosso tema sobre o pilates? Essa é uma das inúmeras atividades que podem ser praticadas na terceira idade. Deseja receber informações e materiais exclusivos sobre atividades e cuidados com idosos? Cadastre seu e-mail no box “Quer ainda mais conteúdo” no início do texto!

 

Esta publicação é um guest post da empresa LIFELINK.

Continue Reading
Idoso perdido: como agir quando um familiar se perde

Em casos de um idoso perdido, é fundamental que ele consiga socorro de forma rápida e fácil. Veja como resolver esse problema e também evitar que ele ocorra!

Quando a idade chega para os membros da família, sempre surgem inúmeras dúvidas do que um familiar pode fazer para que o idoso fique seguro e ao mesmo tempo independente. É difícil para os mais velhos saírem do local onde muitas vezes moraram a vida inteira e, então, se mudarem para a casa dos familiares ou instituições de longa permanência para idosos. Além disso, a rotina de trabalho dos familiares na maioria das vezes impossibilita o cuidado integral, mas isso, de maneira nenhuma, significa que o familiar não se importe ou não esteja dando a devida atenção para o idoso.

Nesse contexto, por vezes os entes queridos mais velhos podem acabar ficando sem a devida atenção, o que favorece situações e problemas que podem prejudicar a saúde deles. Neste post vamos falar sobre um aspecto específico desse quadro: o fato de que comumente vemos notícias de algum idoso perdido na rua. Por exemplo, sabe-se que aproximadamente 60% dos pacientes com Alzheimer acaba se perdendo pelo menos uma vez na vida. Ou seja, é algo muito comum e que causa grande perigo aos idosos e preocupação aos familiares.

Para evitar esse tipo de situação e tranquilizar os familiares, enumeramos algumas dicas simples do que você pode fazer para evitar ter o seu parente idoso perdido.

Idoso perdido: como evitar?

  1. Cuide para que as portas e as janelas da casa do idoso não fiquem abertas;
  2. Não peça para que o idoso realize tarefas sozinho na rua, caso ele sofra de perda de memória;
  3. Não deixe o idoso andar de transporte público sozinho. Se durante a viagem ele perder a memória, pode entrar em desespero por não saber onde está, nem para onde está indo;
  4. Tenha uma boa comunicação com os vizinhos dos idosos. É importante que os vizinhos estejam conscientes de que o idoso mora sozinho e dos riscos que ele pode correr caso se perca.
  5. Atualmente no mercado, existem sistemas que podem avisar aos familiares quando o idoso sai de um área segura. A teleassitência é a melhor opção para atender um idoso perdido. O serviço é uma garantia de que em uma situação de risco como essa o familiar seja avisado o mais rápido possível sobre o ocorrido.

Qual é o serviço de teleassistência recomendado?

O objetivo da teleassistência é que no menor tempo possível, os idosos que precisem de qualquer assistência consigam solicitar socorro, ser atendidos e ter o suporte que necessitam, sendo uma ótima opção para o idoso perdido. Clique aqui e saiba mais sobre como funciona o monitoramento de idosos à distância.

Dessa forma, ao pressionar um botão, o idoso pode contatar uma Central de Atendimento 24 horas ou seus familiares com agilidade e facilidade. Além disso, há ainda dispositivos que detectam automaticamente quando o idoso perdido está em um local estranho e, assim, alerta os contatos de emergência deste idoso através de ligações e mensagens telefônicas – você pode conferir mais sobre isso clicando aqui.

Com essas dicas você com certeza conseguirá evitar que seu familiar idoso fique à mercê de se perder. E lembre-se que, seja ao adotar essas dicas práticas e/ou ao contar com o serviço de teleassistência, o importante é garantir que o seu familiar na terceira dade tenha qualidade de vida e consiga manter o máximo de autonomia ao mesmo tempo em que tem segurança. Assim, ele e toda a sua família terão uma vida mais feliz!

Continue Reading
abandono afetivo inverso

Abandono afetivo inverso: você sabe o que é?

abandono afetivo inverso acontece quando os filhos abandonam os pais à própria sorte no momento que eles mais precisam de cuidados, que é durante a velhice. Mas não é somente a falta de cuidados que caracteriza o abandono afetivo inverso, mas também, a falta de respeito, o desprezo, a falta de amor e a indiferença dos filhos em relação aos pais idosos.

Mais do que a omissão de assistência física ou financeira, o abandono afetivo do idoso reflete em uma negação de vida, pois esse ato tira do familiar mais velho a perspectiva de viver com qualidade – afinal, a família é quem deveria zelar por ele.

Consequências do abandono afetivo inverso

A velhice em si já é um processo complicado, pois com o avanço da idade, aparecem diversos tipos de doenças. E, quando os idosos não têm o devido carinho e atenção da família, eles ficam carentes e, consequentemente, mais propensos a desenvolver problemas como a depressão, por exemplo.

Mas os filhos também sofrem consequência ao abandonar os pais. Isso porque é previsto em lei que os genitores recebam auxílio dos filhos durante a velhice. O artigo 3º da Lei Nº 10.741, de 1º de Outubro de 2003 deixa isso bem claro.

Quando os filhos desobedecem essas normas, o idoso pode buscar seus direitos na justiça. Embora não haja uma legislação específica sobre o assunto, os pais podem pedir indenização por danos morais aos filhos, quando são abandonados por eles.

Além disso, o filho que abandona o idoso pode ser excluído do testamento, caso o pai abandonado queira privá-lo de receber algum bem como herança.

Situações que não caracterizam abandono afetivo inverso

Existem algumas situações que podem até parecer abandono, mas, na realidade, não são. Por exemplo: se um filho mora em outra cidade ou país a trabalho e não pode estar presente com frequência, não é uma característica de abandono. No entanto, nesse contexto, o filho ainda deve visitar os pais sempre que possível, prestar assistência quando necessário e ainda procurar ter contato frequente com seus genitores.

Outro fato que pode ser julgado por algumas pessoas como abandono é quando os filhos optam por colocar o pai ou mãe em uma casa de repouso. Quando todos os membros da família trabalham e não dispõem de tempo e nem de recursos financeiros para manter um cuidador em casa, essa é uma opção – que não se trata de abandono quando é uma decisão tomada de comum acordo por toda a família.

Em um contexto no qual o idoso está com a idade muito avançada e apresenta quadro de demência, por exemplo, em uma casa de repouso ele vai receber tratamento adequado. Nesses casos, o abandono não existe quando a família visita o idoso com frequência, interage com ele e oferece a ele convivência com seus netos e outros familiares.

Além disso, uma outra opção muito vantajosa e que não se trata de abandono afetivo inverno é contar com a teleassistência. Através dela, é possível que o idoso peça auxílio e também se comunique com seus familiares através de aparelhos simples e práticos de usar. Dessa forma, os filhos podem manter o cuidado com os pais sem estarem presentes fisicamente com frequência e os pais, por outro lado, podem continuar vivendo em seus lares, mantendo seu conforto, autonomia e independência.

Importância de proporcionar carinho e atenção aos idosos

A transição para a velhice nem sempre é muito fácil. Além dos problemas de saúde relacionados à idade, muitos idosos se sentem incapazes, pois já não possuem tanta energia para fazer as coisas que antes lhe davam prazer. A solidão pode ser outro ponto negativo para a vida do idoso, pois com a chegada da aposentadoria, as pessoas tendem a ficar mais isoladas, o que pode gerar depressão. Para que o idoso tenha uma vida feliz, ele precisa do amor e carinho dos filhos e netos. Ao se sentir amado, ele terá mais vontade de viver e aproveitar as coisas boas que a vida tem a oferecer nessa nova fase.

Para evitar o abandono afetivo inverno, é preciso cuidar do seu familiar idoso com carinho, atenção e amor – mesmo que você não possa estar presente na vida dele diariamente. Com alternativas que vão desde cuidadores até sistemas automáticos eletrônicos, é possível garantir o bem-estar de quem você ama!

Continue Reading
7 dicas para aumentar a qualidade de vida na terceira idade

Embora o envelhecimento seja frequentemente relacionado às doenças, existem formas de manter e aumentar a qualidade de vida na terceira idade. Descubra como!

Além da sabedoria e dos cabelos grisalhos, o avançar da idade pode trazer muitas outras consequências à vida dos idosos.  Por isso é fundamental construir hábitos que favoreçam a qualidade de vida na terceira idade.

Ter a saúde física e mental debilitadas são, infelizmente, bastante comuns nessa época da vida. Para ajudar o idoso a viver essa fase com mais plenitude, reunimos sete dicas simples e práticas que farão muita diferença para a qualidade de vida na terceira idade. Confira!

#1 Praticar atividades físicas

Caminhar e praticar outras atividades físicas faz bem para o coração e para as pernas, além de fortalecer os músculos e ajudar a prevenir a depressão. Realizar caminhadas leves e diárias, com duração indicada entre 30 minutos a 1 hora, já trará ótimos resultados. Além disso, as academias ao ar livre são também uma excelente opção para fazer exercícios sem custo.

#2 Comer peixes, frutas e legumes

Aumentar a frequência dos peixes e frutos do mar no cardápio é uma ótima pedida: eles são ricos em ácidos graxos ômega-3, que reduzem o os riscos de hipertensão arterial e doenças cardíacas. Além disso, colorir o prato com saladas e legumes garante a ingestão de vitaminas, fibras e nutrientes que aumentam a imunidade e previnem muitas doenças. Substituir doces por frutas na sobremesa fecha o menu com chave de ouro e traz ainda mais qualidade de vida na terceira idade.

#3 Consumir bastante líquido

Beber diariamente de seis a oito copos de água e/ou sucos naturais de frutas mantém o corpo hidratado e limpo de impurezas. A grande dica é sempre coar ou peneirar os sucos, evitando engasgamentos e afogamentos.

#4 Tomar sol

Os raios solares repõem os níveis de vitamina D, que é muito importante para fortalecer os ossos e os dentes. Por isso, banhos de sol com duração de 15 a 45 minutos por dia é muito benéfico para a qualidade de vida dos idosos. No entanto, é muito importante lembrar de utilizar protetor solar e  respeitar os melhores horários para o banho de sol (antes das 10h e após às 16h).

#5 Manter o cérebro ativo

Exercitar frequentemente o cérebro com jogos de cartas e palavras cruzadas é divertido e nos deixa mais inteligentes. Porém, o grande ganho é que esta prática ajuda a evitar ou retardar o aparecimento de doenças neurológicas – grandes vilãs na terceira idade. Portanto, é muito positivo que o idoso pratique atividades que estimulem a sua mente.

#6 Socializar

Manter contato com bons amigos garante bem-estar e qualidade de vida na terceira idade. Segundo uma pesquisa realizada em Harvard, pessoas que se relacionam e possuem contato com boas amizades são mais felizes. Fora isso, manter convívio social mantém o cérebro ativo e ajuda a prevenir demência. Participar de excursões para a terceira idade, de grupos de dança (ou outras atividades) para idosos ou simplesmente cultivar o hábito de reunir os amigos em casa para uma refeição especial e um bom bate-papo são excelentes alternativas para fortalecer os laços.

 #7 Evitar os  riscos

A maioria dos acidentes com idosos ocorrem no ambiente doméstico. Nesta fase da vida, pequenas lesões ou fraturas podem ocasionar grandes problemas. Por isso, prevenir-se garantindo que a casa deles esteja livre de riscos – como objetos soltos, tapetes ou calçados escorregadios, degraus, entre outros – é de extrema importância.

Para oferecer e incentivar esses hábitos que garantem qualidade de vida na terceira idade, estar presente e próximo no dia a dia dos idosos é fundamental. Afinal, o afeto e segurança emocional também são fatores importantíssimos para um envelhecimento saudável e feliz.

Porém, muitas vezes a dedicação exclusiva é impossível. Nesses casos, já é possível contar com uma série de recursos tecnológicos que auxiliarão nos cuidados enquanto você não puder estar presente. Para saber mais sobre esse assunto, confira o nosso post sobre novas tecnologias que melhoram qualidade de vida dos idosos!

RESPONDA AO QUIZ E SAIBA A QUE RISCOS O SEU FAMILIAR IDOSO PODE ESTAR EXPOSTO!

Continue Reading

Esta é a dúvida de muitos familiares, especialmente pelo alto custo mensal e pela boa saúde do idoso. Afinal, vale a pena fazer plano de saúde para idosos?

No Brasil, um plano de saúde para idosos custa, em média, R$ 1.500,00 por mês, o que corresponde a uma despesa anual de quase R$ 20.000,00. Devido ao alto custo, muitas famílias têm ficado em dúvida sobre a necessidade desse investimento, especialmente por que muitos idosos são saudáveis e autônomos, e não precisam de acompanhamento médico regular.

Alguns familiares, inclusive, cogitam fazer uma poupança em vez do plano de saúde, para que tenham uma reserva à disposição em caso de emergência.

Mas, o que será mais indicado: garantir o atendimento com antecedência ou pagar procedimento particular somente quando houver necessidade?

Confira nossa análise e compartilhe conosco se você acha que vale a pena fazer um plano de saúde para idosos!

#1 Planejamento Financeiro

Quando você contrata um plano de saúde, passa a considerar a mensalidade em sua despesa mensal fixa e ajusta seu orçamento a ela. Você conta com esse investimento todos os meses e, em caso de necessidade de atendimento médico, você está seguro a qualquer momento.

Sem o plano de saúde, você não precisa desembolsar esse valor todos os meses, mas fica exposto a riscos financeiros em caso de doença súbita ou acidentes.

#2 Plano de saúde para idosos X Particular

O custo anual médio de um plano de saúde para idosos é de R$ 20.000,00, valor que, a princípio, assusta um pouco.

Em contrapartida, se você considerar o custo particular de uma internação em um bom hospital, com exames e medicamentos, este valor é o suficiente para cerca de 30 dias apenas.

#3 Plano de saúde X Poupança

Quando confrontamos o investimento para saúde em poupança, o plano de saúde ainda oferece mais segurança, por vários motivos:

  • O dinheiro guardado durante tanto tempo é consumido rapidamente em procedimentos particulares;
  • É um investimento sem destino específico: se durante o ano, você identificar qualquer outra situação que pareça demandar este valor, você perderá sua reserva para saúde;
  • A maioria dos brasileiros não possui o hábito e nem disciplina suficiente para economizar dinheiro;
  • O rendimento da poupança é insignificante.

#4 Plano de saúde X SUS

Embora o SUS ofereça todos os tipos de procedimentos, inclusive os de alta complexidade, o serviço como um todo é considerado ineficaz devido à alta demanda: estima-se que mais de 150 milhões de brasileiros dependam exclusivamente do SUS. Além disso, dados da ANS indicam que, nos últimos dois anos, mais de 2,7 milhões de pessoas ficaram sem convênio médico e passaram a depender do SUS, devido à perda do emprego ou à incapacidade de pagamento devido ao reajuste dos planos.
Isso reflete em vários aspectos da saúde pública:

  • Demora no agendamento de consultas e exames, pois não há profissionais nem estrutura suficientes para atender a todos com agilidade
  • Atendimento inadequado, pois os profissionais têm menos tempo para atender cada paciente
  • Defeito nos equipamentos, devido à sobrecarga da capacidade
  • Falta de medicamentos

#5 Prevenção

Pessoas cobertas por plano de saúde tendem a realizar mais ações de prevenção, como consultas de rotina e exames preventivos.

Quando os pacientes dependem de atendimento particular, são mais resistentes às medidas profiláticas e procuram atendimento médico somente em caso de necessidade – geralmente, em estágio avançado, o que demanda tratamentos mais caros.

No entanto, uma das desvantagens do plano de saúde para idosos é o período de carência: cada operadora pode determinar a carência para os procedimentos do plano, desde que não ultrapassem os prazos definidos pela Agência Nacional de Saúde.

 

De acordo com a tabela da ANS, até mesmo consultas e exames simples podem levar 180 dias para serem liberados:Box com informações sobre plano de saúde para idosos

Tratando de saúde, prevenir é sempre melhor do que remediar. Por esse motivo, fazer um plano de saúde para o idoso pode ser mais vantajoso do que arcar com atendimento particular.

Caso esteja em dúvida, consulte algumas operadoras de planos de saúde, solicite o contrato e analise as cláusulas para saber se estão de acordo com as expectativas da família. Se possível, peça a opinião do próprio idoso: ele se sentirá importante e muito mais disposto a seguir um tratamento de saúde no futuro.

Continue Reading