A importância da Golden Hour no atendimento aos idosos

Consequências causadas por quedas são responsáveis por cerca de 40% das mortes entre idosos no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A cada ano, de 28% a 35% das pessoas com mais de 65 anos sofrem ao menos uma queda, e esse percentual sobe para 32% a 42% na faixa de mais de 70 anos. As causas estão relacionadas com outras doenças e condições que surgem com o avançar da idade, como alterações na visão, músculos e ossos, que comprometem o equilíbrio e a força corporal. É importante que o idoso mantenha os exames em dia e visite frequentemente o geriatra para corrigir eventuais enfermidades e prevenir a queda. Caso não seja possível evitá-la, o atendimento adequado e imediato é imprescindível. 

GOLDEN HOUR: O atendimento na primeira hora após a queda faz toda a diferença

A teoria desenvolvida pelo cirurgião americano R. Adams Coley diz que o atendimento nos primeiros 60 minutos após uma queda é crucial para a saúde do idoso. Cuidados efetivos – tanto físicos quanto psicológicos – dentro desse período garantem mais chances de sobrevivência para a vítima da queda.  

O principal problema apontado por especialistas nos casos de queda de idosos é justamente o tempo gasto para pedir ajuda. Se o idoso estiver sozinho e não conseguir se movimentar, por exemplo, pode levar horas até que seja encontrado e amparado. Esse tempo é precioso para evitar o agravamento da situação. 

Botão de emergência para idosos: Saiba como garantir atendimento imediato no caso de queda

O Botão de emergência para idosos é parte de um Sistema conhecido como Teleassistência, que possibilita que o usuário entre em contato com uma equipe especializada e disponível em tempo integral em caso de necessidade, como uma queda, por exemplo. Ao acionar o botão de emergência, um dispositivo discreto e leve usado junto ao corpo, um canal de áudio é aberto imediatamente e o idoso consegue informar a central que agirá da forma mais adequada, como contatar familiares ou serviços médicos. O serviço conhecido como Vidafone está disponível em duas versões:

VIDAFONE FIXO: Para idosos que ficam sozinhos em casa

No modelo conhecido como Vidafone Fixo o botão de emergência conecta-se a um dispositivo ligado ao telefone residencial. A chamada é realizada por um sistema de viva-voz de longo alcance que funciona em qualquer cômodo da residência. A principal vantagem nesse modelo é a estabilidade do sinal de telefone. Também podem ser adicionados acessórios complementares, como sensores de queda, de fumaça e de movimento. 

VIDAFONE MÓVEL: Para idosos que andam sozinhos na rua

Para os idosos que costumam se aventurar pela rua desacompanhados, o modelo indicado é o Vidafone móvel. Nessa opção o botão de emergência funciona através de linha telefônica móvel com tecnologia GSM e pode ser acionado em qualquer lugar com sinal de celular. As principais diferenças em relação ao modelo fixo são: Rastreador GPS embutido, por onde a família pode monitorar a posição exata e em tempo real do usuário; Sensor de quedas embutido, que aciona  a central de emergência automaticamente caso o usuário fique impossibilitado e a função de celular para idosos, que permite que o idoso realize e receba ligações de números cadastrados.  

Quer mais informações sobre o Vidafone? Você pode entrar em contato conosco clicando aqui. 

 

Compartilhar
Tire suas dúvidas