Dia mundial do combate ao AVC

Conscientizar e prevenir é a melhor forma de combater essa doença que é a principal causa de mortalidade no mundo

A Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o dia 29 de outubro como o Dia Mundial do Combate ao AVC (Acidente Vascular Cerebral) para alertar sobre a importância da prevenção, do tratamento e da reabilitação desta que é a principal causa de morte em todo o mundo.  Só no Brasil, são cerca de 100 mil mortes a cada ano,de acordo com o Ministério da Saúde. 

O AVC é uma doença caracterizada pela interrupção da oxigenação do tecido cerebral, com consequente perda de determinadas funções relacionada à área afetada. Além do risco de morte, a doença provoca uma série de incapacidades e pode comprometer de forma bastante significativa a qualidade de vida da pessoa acometida.

Existem dois tipos diferentes de acidente vascular cerebral. O mais comum deles é o AVC isquêmico, responsável por mais de 80% dos casos, e que se caracteriza pela interrupção da oxigenação do tecido cerebral em decorrência de uma obstrução ao fluxo sanguíneo, causada pela presença de um coágulo que pode estar localizado no cérebro ou em outra parte do corpo. O segundo tipo é o AVC hemorrágico, responsável por cerca de 20% dos casos e que ocorre quando há extravasamento de sangue em um determinado território cerebral em consequência da ruptura de algum vaso sanguíneo. 

Risco é maior entre idosos

O risco de ocorrência de um AVC  dobra a cada década de vida após os 55 anos. Existem ainda outros fatores de risco, como os étnicos (a raça negra) e histórico familiar.Também é preciso prestar atenção aos fatores de risco modificáveis que, associados à idade, têm grande impacto tanto na ocorrência quanto na evolução do acidente vascular cerebral. Hipertensão, diabetes, tabagismo, dislipidemia (alteração nos níveis de colesterol e triglicérides), arritmias cardíacas, obesidade e sedentarismo estão entre os principais fatores de risco que podem ser controlados.

Como reconhecer um AVC?

Reconhecer rapidamente os sinais de um acidente vascular cerebral e encaminhar o paciente para o tratamento o mais precocemente possível é a principal forma de se evitar quadros mais graves e sequelas mais sérias. Sensação súbita de dormência, fraqueza, dificuldade para movimentar a face, braços e/ou pernas em um lado do corpo são alguns dos sintomas frequentes. Dificuldade na fala, alterações visuais, dor de cabeça e  lapsos de consciência também podem ocorrer.  Após o controle da fase aguda, o tratamento das causas do acidente vascular é fundamental para prevenir novos episódios.

Botão de emergência: Socorro imediato mesmo quando o idoso está desacompanhado

Com o botão de emergência do Vidafone, seu familiar idoso está seguro mesmo quando está sozinho. É uma importante ferramenta no caso de acidentes domésticos ou até mesmo na eventual ocorrência de um AVC. Quando perceber que algo está errado, basta que ele acione o botão, relate para o atendente a situação e a ajuda chegará imediatamente. Nesses casos, é importante que o paciente seja imediatamente atendido para que a maior parte possível dos danos seja revertida. 

Para saber mais sobre o Vidafone e seu botão de emergência, entre em contato conosco clicando aqui

Compartilhar
Tire suas dúvidas