Lembranças do passado podem melhorar sentidos de idosos com demência

A demência, definida como um  grupo de sintomas caracterizado pela disfunção de pelo menos duas funções do cérebro, como a memória e o discernimento, apresenta sintomas como esquecimento, habilidades sociais limitadas e habilidades cognitivas prejudicadas a ponto de interferir seriamente na rotina do portador da doença. Medicamentos e terapias podem ajudar a controlar e retardar os sintomas, mas não há cura. É muito comum entre idosos, com incidência de mais de dois milhões de casos por ano só no Brasil.

Diversos estudos e pesquisas têm sido desenvolvidos com a finalidade de proporcionar mais qualidade de vida e bem-estar para essas pessoas. Além dos cuidados básicos com higiene e saúde, através de tratamentos medicamentosos, é essencial que os portadores de demência estejam acolhidos e amparados, seja pela família, seja por profissionais contratados para esse fim. 

Como proporcionar mais conforto para a pessoa com demência

Ao contrário do que alguns ainda acreditam, as pessoas com demência não perdem a memória, ela apenas fica adormecida no inconsciente e é comum que surjam repentinamente em momentos aleatórios. É possível, por exemplo, estimular que essas lembranças do passado surjam: Mostrando fotografias antigas, tocando músicas que o idoso costumava ouvir na juventude, fazendo perguntas sobre familiares… Eventualmente ele irá se identificar com essas memórias e sentir-se seguro por saber quem é, mesmo que momentaneamente. Ou seja, carinho e atenção são essenciais mesmo que a pessoa não o reconheça. 

Rua sensorial é criada para estimular sentidos dos idosos

Uma casa de repouso da Inglaterra apostou em uma forma diferente de cuidar dos pacientes com demência: Uma rua sensorial inspirada nas paisagens da cidade nos anos 1950 – que remete à juventude  da maioria dos internos – foi construída no pátio da instituição. Segundo a matéria publicada pela rede britânica BBC, a estrutura, que conta com construções como casa de chá, correio  e posto de gasolina, além da presença de animais como cabras, papagaios, porquinhos-da-índia e patos, ajuda a relembrar momentos que estavam adormecidos no inconsciente dos idosos. 

O resultado é surpreendente: A interação dos idosos com a rua tem trazido melhora nos sentidos e também aguçado memórias e lembranças do passado. Familiares relatam que, ao trazer à tona vivências de outros tempos, a iniciativa tem sido um elemento essencial para promover interações sociais. Os benefícios proporcionados pela rua sensorial, que foi inspirada em um projeto semelhante implantado na Noruega, reforçam a importância da dedicação oferecida à pacientes portadores de demência envolver atenção e amor. 

Garanta a segurança do seu familiar portador de demência com o Vidafone Móvel

Como mencionamos, o sintoma mais comum em pessoas com demência é o esquecimento. Por esse motivo, muitas famílias se preocupam com a possibilidade do idoso acabar se perdendo ou até mesmo se ferindo. Uma opção que vem sendo adotada para garantir  a segurança dessas pessoas são os sistemas de monitoramento pessoal. No serviço conhecido como VIDAFONE MÓVEL, a localização do usuário é monitorada 24 horas por dia através de um aparelho eletrônico. No caso do usuário se perder, é possível localizá-lo imediatamente, entre outras funcionalidades.

Clique aqui e solicite agora o seu Vidafone Móvel.

Para saber mais sobre o serviço de monitoramento de pessoas idosas, entre em contato pelo e-mail contato@tecnosenior.com.br ou ligue para 51 3018-6950 | 51 99998-0245. Se preferir, fale conosco pelo WhatsApp clicando aqui!

Compartilhar
Tire suas dúvidas