Saiba como auxiliar seu familiar idoso

Envelhecer é um processo inevitável, mas nem por isso exatamente tranquilo. Mudanças significativas na rotina e no estilo de vida são necessárias e acostumar-se com isso pode acabar sendo um problema para o idoso e para aqueles que o cercam. É natural que ele já não tenha tanta autonomia como antes e dependa cada vez mais da ajuda de familiares ou cuidadores para executar tarefas simples do dia-a-dia, como atividades dentro de casa e pequenos passeios.  Pensando nisso, listamos alguns pontos que merecem atenção redobrada ao cuidar de um idoso:

#1 Hidratação

É desnecessário dizer que a hidratação adequada é indispensável em qualquer fase da vida, mas na terceira idade é ainda mais importante, já que os órgãos e o metabolismo já estão funcionando de forma mais lenta e necessitam de toda ajuda possível. Além disso, a pele costuma ficar mais seca com o passar dos anos. Além de beber bastante água, é aconselhável cuidar a temperatura da água do banho, que não deve ser muito quente, controlar a exposição ao sol, usar cremes hidratantes e consumir mais alimentos que contenham antioxidantes, como frutas cítricas e chás. 

#2 Mudanças nos sentidos

As mudanças nos sentidos são, talvez, a parte mais impactante do envelhecimento. A surdez, por exemplo, dificulta a comunicação e a tendência é que o idoso vá se tornando mais quieto e recluso, justamente por não compreender com clareza o que falam com ele. O olfato e o paladar menos sensíveis impactam na qualidade da alimentação, já que os alimentos parecem insossos e pouco convidativos. Nesse ponto é preciso prestar atenção ao consumo exagerado de sal e pimenta. Alterações no tato tornam o idoso menos sensível à dor, o que pode causar machucados sem que ele perceba. Por fim, a visão reduzida torna-se um perigo em potencial para incidentes como quedas, por exemplo. Por isso, é importante que o idoso tenha acompanhamento médico frequente e trate tantos desses problemas quanto for possível. 

#3 Alterações cognitivas

Assim como os sentidos, a mente costuma ficar mais vulnerável com o passar dos anos. Podem ser alterações leves como pequenos lapsos de memória ou problemas mais sérios, como a doença de Alzheimer, por exemplo. Além do acompanhamento médico, a família deve monitorar o idoso de perto e estar atenta a possíveis sinais de alterações. 

#4 Mobilidade

Limitações na mobilidade e na flexibilidade também são comuns na terceira idade. Atividades que antes eram realizadas com facilidade, como uma simples caminhada, passam a ter certo grau de dificuldade. Além disso, a fragilidade do corpo do idoso  acaba sendo um risco para acidentes com quedas, mesmo dentro de casa. Nesses casos, não é possível simplesmente impedir que o idoso faça as atividades com as quais já está acostumado. No entanto, algumas tecnologias podem auxilar a proporcionar cuidado mesmo quando não estiver presente. 

Se o idoso estiver relativamente saudável e com condições de viver com certa autonomia, é aconselhável que se respeite o espaço dele.  É normal que familiares se preocupem cada vez mais em evitar possíveis incidentes e surpresas comuns na velhice, porém, isso quase sempre acaba resultando num excesso de zelo que muitas vezes sufoca e causa revolta nos idosos. O ideal é cuidar e amar na medida certa, respeitando o momento de seu familiar.

 

Compartilhar
Tire suas dúvidas