Sinais de velhice

Sinais de velhice: saiba se seu familiar precisa de cuidados

Na lógica de que envelhecer é um processo natural, sabemos que, junto com a idade avançada, vêm algumas limitações causadas pelos desgastes do corpo e/ou da mente. Locomover-se, por exemplo, torna-se um processo lento e não mais automático como antes. Em grande parte dos casos, é necessário o uso de aparelhos que ajudam a sustentar o corpo, como bengalas e andadores. É comum ocorrerem quedas devido a falta de equilíbrio ou tonturas decorrentes de labirintites ou outras doenças que desestabilizem o idoso. Esses são alguns dos mais claros sinais de velhice; no entanto, outros mais sutis também merecem atenção.

Nessa fase também é comum surgirem doenças típicas da idade, que são igualmente limitantes, já que o corpo mais frágil sente qualquer sintoma mais intensamente que um jovem adulto, por exemplo. Problemas de memória costumam surgir e a confusão causada por eles pode gerar isolamento e solidão, e, em alguns casos, doenças como a depressão. O fato é que o organismo está mais frágil e suscetível a doenças. São raros os idosos que não necessitam de cuidados, mesmo que sejam mínimos, pois ter mais dificuldades no dia a dia é um dos principais sinais de velhice.

Por outro lado, ficar mais velho não é, necessariamente, sinônimo de sofrimento. É possível ainda ter qualidade de vida na terceira idade, basta ter atenção a esses sinais de velhice e adotar alguns cuidados. Os idosos mais saudáveis costumam prezar pela autonomia. Querem ser independentes como já o foram toda a vida. Com isso, os filhos se preocupam com a possibilidade da ocorrência de algum acidente doméstico ou mal súbito, porque os pais acham que não precisam de acompanhantes ou cuidadores. Como resolver esse impasse?

Uma das opções mais seguras que o mercado oferece atualmente chama-se teleassistência. Trata-se, basicamente, da utilização de tecnologia para prestar assistência remota. Ou seja, essa forma de cuidar de idosos, que já é tradicional nos Estados Unidos, atua como um sistema de monitoramento à distância e permite que o idoso chame socorro de forma fácil e rápida em caso de emergências. Dentro da teleassistência, há uma variedade de dispositivos e equipamentos para suprir diversas necessidades e proporcionar autonomia e tranquilidade para idosos e seus familiares.

Dependendo do modelo escolhido, o dispositivo pode funcionar através da linha fixa ou móvel de telefone. Por meio desses aparelhos, o idoso pode, com um simples toque num botão de emergência, acionar ajuda quando necessário. Esse tipo de tecnologia também pode contar com rastreadores, sensores de queda e uma série de outros acessórios que, juntos, possibilitam que seu familiar tenha uma rotina normal e independente com a segurança de que, se necessário, será devidamente atendido.

Ficou curioso sobre o assunto? Clicando aqui você pode saber mais sobre a teleassistência.

Compartilhar
Tire suas dúvidas