“Túnel do abraço” proporciona que idosos em isolamento social abracem seus entes queridos 

Uma cortina de plástico com mangas, criada por funcionários de uma casa de atendimento a idosos no Rio Grande do Sul,  permite contato físico seguro durante a pandemia de coronavírus.

Com visitas suspensas desde o início do isolamento social,  uma funcionária da Clínica Geriátrica Três Figueiras, em Gravataí-RS, viu os internos desanimados durante o domingo de dia das mães que, segundo ela, costumava ser uma das datas mais esperadas, justamente  pela interação com as famílias. Preocupada com a saúde mental dos idosos, ela buscou uma solução segura para que pudessem ter o contato físico sem correr riscos. 

Segundo matéria publicada pela GaúchaZH, a ideia veio de um  vídeo que viralizou nas redes sociais, no qual uma americana criou uma cortina de plástico para  abraçar a mãe durante a pandemia. A clínica implantou um modelo semelhante, que batizou de túnel do abraço. Dessa forma, familiares puderam se abraçar novamente depois de dois meses sem contato físico. Todos ficaram muito felizes e emocionados com a interação. As visitas são agendadas e o espaço é higienizado após cada encontro. O modelo fez tanto sucesso que já foi adotado por outras pessoas. É uma solução criativa e eficiente na redução de danos causados pela pandemia – que podem ir muito além da contaminação pelo vírus. 

Quarentena deixa idosos duplamente vulneráveis à depressão

Além do medo – legítimo – da contaminação, as pessoas, em especial as idosas, têm sofrido com saudade da família e dos amigos. Muitos têm dificuldade em entender e assimilar a situação. Só isso já seria um motivo para o surgimento de sintomas relacionados à depressão, mas eles correm um risco ainda maior:  A degeneração dos neurônios responsáveis por estimular a produção de serotonina, dopamina e endorfina, hormônios responsáveis pelo sentimento de bem-estar, é uma consequência natural do envelhecimento e, segundo especialistas, o contato humano é essencial na produção desses hormônios

Portanto, o isolamento social afeta os idosos duplamente, já que por comporem o grupo de maior risco devem cumprir a quarentena com ainda mais rigidez.  Por esse motivo, é preciso prestar muita atenção no comportamento dos idosos mesmo que à distância. Interagir com familiares idosos, mesmo que à distância, dando a segurança de que não estão sozinhos mesmo com toda essa situação, é imprescindível. 

Tecnologia como aliada para manter o contato com os idosos durante a pandemia

Isolados, muitos idosos têm se relacionado com familiares e amigos apenas de forma virtual. As videochamadas têm se mostrado essenciais nesse período. Mas alguns, principalmente os que moram sozinhos  e não têm quem possa auxiliá-los, acabam ficando por fora. Nesse caso,  a família pode contar com a teleassistência como forma de entrar em contato com os idosos. Esssa tecnologia de monitoramento pessoal funciona como forma de garantir a segurança dos idosos que vivem sozinhos, mas também há a possibilidade de usá-la como meio de comunicação. 

O serviço Vidafone tem a função original de contatar uma central de emergência quando acionado, mas os aparelhos também possuem a função de telefone para idosos. No modelo Vidafone Fixo a chamada é realizada através de um sistema de viva-voz que funciona em qualquer cômodo da residência, ou seja, o idoso não precisa se deslocar para se comunicar a qualquer momento.  Clique aqui para mais informações 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *