doenças mais comuns em idosos

5 doenças mais comuns em idosos

Envelhecer é um processo que implica em muitas mudanças na rotina. Uma das mais marcantes é que a saúde não é a mesma da juventude e é preciso dar mais atenção a ela.  A possibilidade de desenvolver algumas das doenças mais comuns em idosos que antes não eram uma preocupação começa a povoar a cabeça de pacientes e familiares.

Por isso, é importante manter uma rotina de consultas e exames com especialsitas – inclusive, já falamos aqui no blog sobre a importância do médico para idosos. Então, para ajudar você a acompanhar a saúde de seus entes queridos, elaboramos uma lista com as cinco doenças mais comuns em idosos, com sintomas, causas e tratamentos. Fique atento!

1 – Hipertensão

Popularmente conhecida como pressão alta, a doença se dá quando a pressão arterial do paciente é superior a 140 x 90 mmHg (milímetro por mercúrio), ou 14 por 9. A Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBS) estima que mais de 50% das pessoas com 60 anos ou mais possuem a doença.

Os sintomas incluem dor na região da nuca, visão embaçada, cansaço, tontura, sangramento no nariz e, em casos mais avançados, náuseas e vômitos. O tratamento é feito com medicação indicada pelo cardiologista, alimentação saudável e exercícios físicos.

2 – Diabetes

Diabetes é uma síndrome metabólica que consiste na interrupção na forma como o corpo faz uso da glicose e de açúcares digeridos a partir de alimentos. A mais comum entre os idosos é a do tipo 2 (corresponde por cerca de 90% dos casos). Nessa variação da doença, o corpo produz insulina, mas é resistente a ela – o que significa que seu organismo não pode processar adequadamente a glicose.

Essa, que é uma das doenças mais comuns em idosos, faz com que os níveis de açúcar subam perigosamente, o que pode levar a problemas de saúde, incluindo ataques cardíacos, derrames, insuficiência renal, cegueira e lesões nervosas. O diabetes tipo 2 pode ser tratado com medicamentos orais ou injetáveis. Levar um estilo de vida saudável, com exercícios regulares e uma dieta bem equilibrada, também são formas eficientes de prevenção.

3 – Doença de Parkinson

A Doença de Parkinson é uma condição neurológica, degenerativa, crônica e progressiva que acometa, geralmente, pessoas com mais de 65 anos. Ela ocorre quando o sistema nervoso sofre degeneração em uma região do cérebro chamada substância negra. Como consequência, o Parkinson gera deficiência de dopamina, neurotransmissor que controla os movimentos finos e coordenados das pessoas.

Infelizmente, ainda não existem formas de prevenção, mas é possível controlar os sintomas apresentados por ela, que são divididos em dois grupos: motores e não motores. Os sintomas motores incluem tremores, rigidez muscular e bradicinesia – dificuldade em iniciar qualquer movimento voluntário. Os sintomas não-motores podem ser demência, depressão, ansiedade, alucinações, alterações no sono e raciocínio lento.

O diagnóstico é feito a partir da análise dos sintomas e do histórico médico do paciente por parte do neurologista. Não há um tratamento que leve à cura da doença, porém, se consegue controlar os sintomas apresentados e retardar o seu progresso. Medicamentos aliados à fisioterapia, terapia ocupacional, terapia psicológica e fonoaudiologia possuem um grande efeito na qualidade de vida da pessoa diagnosticada.

4 – Doença de Alzheimer

É uma doença neuro-degenerativa que provoca o declínio das funções cognitivas. De início, o paciente começa a perder sua memória mais recente. Assim, o idoso pode até lembrar com precisão de acontecimentos de anos atrás, mas esquecer que acabou de realizar uma refeição, por exemplo.

Embora as causas do Alzheimer ainda não sejam completamente compreendidas, seu efeito sobre o cérebro é claro. A doença danifica e mata as células cerebrais, se manifestando nos chamados estágios do Alzheimer.

Com a evolução do quadro, a enfermidade causa grande impacto no cotidiano da pessoa e afeta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem. A pessoa fica cada vez mais dependente da ajuda dos outros, até mesmo para rotinas básicas, como a higiene pessoal e a alimentação. Esse quadro faz do Alzheimer não apenas uma das doenaçs mais comuns em idosos, mas também uma das mais graves.

A causa da doença é desconhecida, mas seus efeitos deixam marcas fortes no paciente. Os cientistas já conseguiram identificar um componente genético do problema, mas ainda não há uma solução.

5 – Câncer

O câncer se desenvolve quando células anormais crescem em uma taxa incontrolável, o que é mais provável de ocorrer na velhice. Segundo um estudo americano, 77% dos cânceres são diagnosticados em pacientes com idade acima de 55 anos. Os tipos de câncer mais comuns para idosos incluem: câncer de estômago, linfoma não-Hodgkin, bexiga, próstata, colorretal, pulmão, pele e câncer de mama. Assim, os sintomas, tratamentos e causas são tão variáveis quanto a própria doença em si. O recomendado para um diagnóstico precoce (que aumenta as chances de cura) é realizar exames de rotina e manter um cotidiano de consultas com seu médico.

Agora você já conhece as cinco doenças mais comuns em idosos, seus sintomas e tratamentos. Então, caso perceba que seu familiar ou até você mesmo apresente alguns dos sintomas listados, procure um especialista. Cuidar do bem-estar é fundamental, especialmente de nossos entes queridos mais velhos. E para saber dicas de cuidados com idosos, clique aqui!

Compartilhar