Gentileza alegra a vida de idosos

A velhice costuma ser, em geral, uma fase solitária da vida. Com a aposentadoria, filhos crescidos e com as próprias vidas, responsabilidades e rotinas agitadas, além de limitações físicas, é comum que pessoas idosas sintam-se sozinhas. Alguns porque passam muito tempo desacompanhados, outros porque mudam-se para residências geriátricas e não se adaptam tanto ao novo ambiente. Até mesmo os que moram com familiares sentem essa solidão. Problemas na comunicação, como a surdez, por exemplo, agravam ainda mais esse distanciamento. Por isso, dedicar tempo e atenção às pessoas nessa fase da vida é tão importante e essencial quanto cuidar da saúde e da segurança delas. 

Visitar frequentemente, providenciar para que mantenham atividades sociais, como participar de grupos de idosos ou frequentar cursos, são algumas das atitudes que podem tornar a vida do idoso mais alegre. Muitas vezes o que eles necessitam é apenas alguns minutos diários de conversa. Discutir assuntos que estão na mídia, pedir opinião sobre questões do dia a dia e fazer com que eles sintam que a sua presença é necessária e importante são exemplos simples que podem melhorar significativamente o dia de um idoso e evitar que eles se tornem pessoas triste e até mesmo depressivas. 

Cartas de estudantes alegram idosos de casas de repouso

Em Minas Gerais, uma iniciativa tem proporcionado momentos felizes para alguns idosos: O projeto Carta pra você promove a troca de correspondências entre crianças das redes de ensino pública e privada de Belo Horizonte e moradores de casas de repouso da cidade. O gesto de atenção, além de apresentar aos pequenos uma forma de comunicação já considerada ultrapassada, faz com que os idosos se sintam acolhidos e lembrados. A troca de experiências anima os estudantes na mesma medida em que alegra os mais velhos. 

Independência e autonomia para uma rotina sem empecilhos

Outra forma de demonstrar carinho e amor por um idoso é oferecendo segurança e cuidado sem interferir na rotina com a qual ele está acostumado. Isso é possível graças a sistemas de monitoramento pessoal que garantem o socorro imediato no caso de algum imprevisto acontecer, bastando que se acione um botão de emergência usado como pingente ou pulseira. 

O Vidafone, como é conhecido o serviço, possui duas versões: Fixo ou móvel, e deve ser escolhido de acordo com o perfil e a rotina de cada usuário: Se ele costuma ficar desacompanhado em casa ou se costuma andar sozinho pela rua. Quando o botão de emergência é acionado, uma ligação é realizada automaticamente para uma central de atendimentos  24 horas, por onde um atendente irá se comunicar com o usuário e agir de acordo com a gravidade da situação, podendo desde contatar familiares até acionar serviços médicos, se necessário. Além disso, os dispositivos contam com outras funcionalidades, como sensor de quedas, localizador GPS e celular para idosos.  

Dessa forma é possível, por exemplo, manter atividades como cozinhar, jardinagem ou até frequentar eventos sociais sem depender a todo o tempo da companhia de outras pessoas. Mas lembre-se: Mesmo com a segurança proporcionada por essa tecnologia, o carinho, amor e o calor de um abraço são indispensáveis.

Clique aqui para saber mais sobre os serviços de teleassistência oferecidos pela tecnosenior

Compartilhar
Tire suas dúvidas