Violência doméstica contra idosos

Casos de violência contra idosos têm sido registrados com cada vez mais frequência, e é justamente no ambiente doméstico que ocorre grande parte dessas situações. O abuso pode ser tanto físico quanto financeiro, psicológico ou sexual. A Organização Mundial de Saúde (OMS) define como violência contra o idoso “um ato único ou repetido, ou falta de ação apropriada, ocorrendo em qualquer relacionamento onde exista uma expectativa de confiança, que cause dano ou sofrimento a uma pessoa idosa”. Ou seja, a violência praticada por pessoas da convivência do idoso, como familiares, amigos ou cuidadores.

Como identificar se o idoso sofre violência doméstica

Mais vulneráveis e, às vezes, até impossibilitados de se defender, muitos idosos sofrem em silêncio durante anos sem nunca denunciar as agressões ou, ainda, sem ter consciência da gravidade da violência que está sofrendo – seja por portar algum tipo de demência ou perda de memória, por medo do agressor ou simplesmente por não conhecer os seus direitos.  De acordo com a OMS, mais de 15% das pessoas com sessenta anos ou mais são submetidas a algum tipo de violência, fora os casos que não são relatados.  Mas como identificar se um idoso está sendo vítima de violência? Primeiro, é preciso entender do que estamos falando.

Como já mencionamos, a violência doméstica contra o idoso pode ser de diferentes naturezas, desde violência física, que consiste no ato de agredir fisicamente com o uso de força e forma intencional;  Negligência, que é o ato de omissão de cuidado do responsável pela pessoa idosa em providenciar as necessidades básicas, além da negação de afeto e abandono; Psicológica, caracterizada por agressões verbais, desprezo, menosprezo, entre outras atitudes com o objetivo de humilhar a pessoa idosa e até financeira, que ocorre principalmente quando o idoso é portador de alguma condição que o impeça de cuidar das próprias finanças. 

Fique atento aos sinais: Se o seu familiar idoso apresenta mudanças no comportamento, como irritabilidade ou isolamento, ou marcas no corpo, procure saber o motivo. 

A tecnologia pode auxiliar o idoso nessa situação 

Infelizmente, é impossível prever e difícil identificar quando um idoso está sofrendo algum tipo de violência. Esse tipo de prática pode ser realizada tanto por familiares, quanto por profissionais e instituições. Por isso, muitas famílias têm optado por sistemas de monitoramento pessoa como o Vidafone, que é um serviço de teleassistência que funciona através de um botão de emergência que o usuário mantém junto ao corpo, como pingente ou pulseira. Ao ser acionado, o botão realiza automaticamente uma chamada de emergência para uma Central de Monitoramento 24 horas especializada. Dessa forma, o idoso poderá pedir ajuda imediatamente se for vítima de algum tipo de violência. Dependendo do serviço contratado, ainda é possível monitorar o idoso de forma passiva, ou seja, mesmo que ele não acione o sistema. 

Saiba mais sobre como a teleassistência pode te ajudar no cuidado com idosos

Compartilhar
Tire suas dúvidas